terça, 17 de julho de 2018

Produção global de madeira ilegal caiu 22%

15 JUL 2010Por 17h:30
     

A produção global de madeira ilegal caiu 22% desde 2002, depois de mais de uma década de esforços internacionais para frear esta prática e mitigar também assim o efeito do desmatamento na mudança climática.

Isto é o que afirma o relatório Illegal Logging and Related Trade: Indicators of the Global Response (Poda Ilegal e Comércio: Indicadores de Resposta Global, em tradução livre) elaborado pela Chatham House e que estudou a evolução da prática no Brasil, Indonésia, Camarões, Malásia e Gana, que representam 40% da atividade ilegal mundial.

"A vida de mais de 1 bilhão de pessoas, entre as mais pobres do mundo, depende das florestas, por isso que a redução do desmatamento ilegal está ajudando a proteger sua qualidade de vida", assegurou o autor do relatório, Sam Lawson, durante sua apresentação nesta quinta-feira (15) em Londres.

Lawson explicou que o corte ilegal não é só um problema ambiental, é um grave tema social e político porque frequentemente desemboca em "violência, corrupção e conflitos sociais".

Três países

Para Lawson, o fenômeno encolheu na última década 50% em Camarões, entre 50% e 75% na Amazônia brasileira e mais de 75% na Indonésia.

Isso permitiu evitar nesses três países a degradação de mais de 17 milhões de hectares de floresta, uma área superior à extensão conjunta da Inglaterra e Gales.

Também contribuiu para frear a liberação de 14,6 bilhões de toneladas de dióxido de carbono à atmosfera, equivalentes à metade das emissões anuais provocadas pela ação humana no mundo inteiro.

Leia Também