Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Produção de abacaxis agora é orientada

Produção de abacaxis agora é orientada
12/07/2010 21:06 -


Cícero Faria, Dourados

As regras para o zoneamento agrícola do abacaxi foram publicadas, no dia seis de julho, no Diário Oficial da União, por meio das Portarias numeros 181 a 190, valendo para Mato Grosso do Sul,  Goiás, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rondônia, Tocantins e Distrito Federal.
O objetivo do estudo é identificar os municípios aptos e os períodos de plantio com menor risco climático para o cultivo do abacaxizeiro. Para isso, foram realizadas análises das variações das temperaturas e dos índices de chuva. O produtor que for financiar a cultura junto ao Banco do Brasil deverá respeitar a  data máxima de plantio.
Em Mato Grosso do Sul o plantio da fruta ainda é pequeno e espalhado, se comparado com as culturas comerciais, como da soja e do milho. Mas em 2008, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE)  levantou o cultivo em mais de 20 municípios com uma área de 378 hectares, com destaque a região de Ivinhema.
O seu cultivo no Estado é feito em assentamentos e por produtores familiares que aproveitam pequenas áreas para uma lavoura de boa rentabilidade. Modernamente, nos plantios tecnificados, o plantio é feito pelo sistema de linhas duplas e na base de 45 a 60 mil plantas por hectare. O melhor período de safra compreende os meses de dezembro a janeiro.

Maior produtor
O municipio de Ivinhema é o maior produtor do Estado com uma área plantada de 114 hectares, de acordo com o IBGE. No vizinho Novo Horizonte do Sul, a fruta ocupou 15 ha na safra de 2008; na região do Vale do Ivinhema foram 141 hectares cultivados.
Em Vicentina, um dos pioneiros no seu cultivo no MS, foram oito hectares; em Itaporã, seis ha; e em Dourados, três.  No Bolsão, o grande produtor de abacaxi é Tres Lagoas, com 34 hectares. Na região de Campo Grande, a atividade é bastante significativa com 112 ha; Jaraguari teve cultivo de 42 hectares; Terenos, 21 ha; na Capital,15 ha; Corguinho, 15 ha; e Rochedo, 12 ha.
Também no norte, alguns municípios se destacaram, como Rio Verde, com 12 hectares de abacaxizeiros, e Coxim, com 10 ha. No sudoeste, Miranda e Anastácio plantaram 12 hectares.
O abacaxi é um fruto típico das regiões tropicais e subtropicais e é explorado economicamente na maioria dos Estados. A produção é positiva em regiões que registram entre 1.000 e 1.500 milímetros de chuva por ano. Durante o período de crescimento vegetativo, o abacaxi é sensível à falta de umidade.
O abacaxizeiro é uma planta que atinge um metro de altura. No Brasil são cultivadas várias espécies, como o abacaxi-amarelo, porém o que se destaca é a variedade Pérola, de polpa amarelada, bastante doce, casca esverdeada, mesmo quando maduro, e pouco acidez.
Ele é rico em vitaminas C, B1, B6, ferro, magnésio e fibras. Previne dor de garganta e resfriado e é bom para a circulação por conter a enzima bromelina. Serve também como tempero para amaciar carne.

Felpuda


A continuar disparando tantas críticas ácidas contradizendo o seu partido, que em nível nacional ganhou até um ministério, político cá dessas bandas poderá ser colocado de escanteio e, se continuar nessa cruzada nada palatável para as lideranças, ser convidado gentilmente a “procurar o caminhão do qual caiu”, como se diz no popular. Os comentários são de que o dito-cujo age assim mais para ganhar holofotes. Esqueceu-se, pelo que se vê, que poderá ocorrer curto-circuito. Ui!