Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

EGITO

Procuradoria-Geral do Egito determina que Mubarak fique preso por mais 15 dias

22 ABR 2011Por AGÊNCIA BRASIL13h:41

 Procuradoria-Geral do Egito decidiu hoje (22) prolongar por mais 15 dias o período de prisão preventiva emitido ao ex-presidente do país Hosni Moubarak, de 82 anos. A ordem foi dada pelo procurador Abdel Meguid Mahmud, que determinou ainda que prosseguissem os interrogatórios de Mubarak, internado em um hospital internacional na cidade balneária de Sharm El Sheikh desde o último dia 12.

As informações são da agência pública de notícias de Portugal, Lusa. Ontem (21) foram divulgadas informações que o estado de saúde de Mubarak é instável. Mas não foram fornecidos detalhes sobre a causa da internação nem o que ele sente. A mulher de Mubarak, Suzanne Thabet, é sua acompanhante no hospital.

Desde que renunciou em 11 de fevereiro, Mubarak passou a viver com a família em Sharm El Sheikh. Mas na semana passada, a Justiça expediu ordens de prisão contra ele e os dois filhos, Gamal e Alaa. As ordens de prisão preventiva foram expedidas com validade de 15 dias.

Mubarak e os filhos são acusados de envolvimento nas mortes de 846 pessoas – que participaram de protestos contra o governo no começo deste ano – além de denúncias de corrupção.

A internação de Mubarak, na semana passada, foi cercada de mistérios. Integrantes do governo de transição também não se manifestaram sobre o que levou à hospitalização do ex-presidente do Egito. Nos mais de 30 anos que esteve no poder, o ex-presidente também mantinha em segredo os temas relativos à saúde.

Mubarak tenta manter-se internado no hospital de Sharm El Sheik embora a Procuradoria-Geral do Egito tenha pedido sua transferência para um hospital militar no Cairo. Há informações que, no último dia 12, quando era interrogado, Mubarak se recusava a alimentar-se e beber água.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também