Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPÍRITO SANTO

Procuradoria denuncia cinco por cocaína em helicóptero

Procuradoria denuncia cinco por cocaína em helicóptero
24/01/2014 18:30 - FOLHA PRESS


O Ministério Público Federal no Espírito Santo denunciou cinco pessoas sob acusação de envolvimento no transporte de cocaína em helicóptero de empresa do deputado estadual Gustavo Perrella (SDD-MG), filho do senador Zezé Perrella (PDT-MG).

Os denunciados por tráfico de drogas e associação para o tráfico são o piloto e o co-piloto da aeronave, dois responsáveis por descarregar o helicóptero e o dono da fazenda em que a aeronave foi apreendida, em Afonso Cláudio, sul do Espírito Santo, em novembro do ano passado.

Sobre a eventual participação de Gustavo Perrella, dono da Limeira Agropecuária, proprietária do helicóptero, a Procuradoria informou que, em razão do foro privilegiado do deputado, pediu o envio do inquérito ao TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região).

A Polícia Federal já havia descartado a participação da família Perrella no caso, e o procurador responsável pela denúncia disse que o envio do caso ao TRF-2 "não implica em opinião negativa sobre a participação" de Gustavo Perrella no caso.

"A decisão apenas reconhece que não cabe a um membro do MPF que atua perante órgãos de primeira instância analisar a questão", afirmou a Procuradoria em nota.

Sobre os denunciados, o Ministério Público Federal disse considerar que "não resta dúvidas" sobre a atuação "com plena ciência do que faziam era ilegal". Foram denunciados o piloto Rogério Almeida Antunes, o co-piloto Alexandre José de Oliveira Júnior, os responsáveis por descarregar o helicóptero Robson Ferreira Dias e Everaldo Lopes de Souza e o dono da fazenda em Afonso Cláudio, Elio Rodrigues.

O piloto Rogério Antunes era funcionário de confiança dos Perrella, e ocupava um cargo de confiança na Assembleia Legislativa de Minas Gerais por indicação de Gustavo Perrella. De acordo com a Procuradoria, ele receberia R$ 50 mil pelo traslado da pasta-base de cocaína, trazida do Paraguai.

Em depoimento à PF, o piloto negou envolvimento de seus patrões no tráfico. Para a PF, ele agiu de forma "isolada".

Se condenados, os cinco denunciados poderão pegar de cinco a 15 anos de prisão por tráfico de drogas, três a dez anos por associação ao tráfico de drogas e ainda ter aumento de pena em até dois terços por tráfico internacional.

Embora os Perrella não tenham sido apontados como responsáveis, a Justiça Federal determinou a apreensão do helicóptero, para uso do Estado do Espírito Santo e da Polícia Federal.

Outro lado

A reportagem não conseguiu localizar os advogados dos denunciados hoje.

O advogado de Gustavo Perrella, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, disse que o Ministério Público Federal no Espírito Santo poderia ter pedido o arquivamento do inquérito em relação ao deputado.

"Foi um excesso de zelo, já que Gustavo é vítima nesse caso, não há um fiapo de indício contra ele. Mas não prejudica em nada a situação, já que o caso deverá ser arquivado no TRF-2", afirmou.
 

Felpuda


Prefeitura de município do interior de MS recebeu recomendação do Ministério Público do Estado no sentido de exonerar servidores comissionados, livres do cartão de ponto, que são parentes de secretários da administração e de vereadores. O nepotismo se tornou um excelente “negócio” por lá, e se até o dia 6 de agosto as devidas providências não forem tomadas, medidas serão adotadas, como ação por improbidade administrativa. Tem gente que não aprende mesmo, né?