Domingo, 18 de Fevereiro de 2018

RESULTADO

Procon divulga pesquisa de preços do Natal

21 DEZ 2010Por NOTÍCIAS MS16h:51

A Superintendência para Orientações de Defesa do Consumidor (Procon/MS) divulgou hoje (21) o resultado da segunda pesquisa do Natal 2010. De acordo com a pesquisa, foi identificada uma queda nos preços em comparação com a primeira pesquisa de 2010 (30/11), que chegou a (-)10,74%. “Assim, repetiu-se o fato já identificado em anos anteriores - os estoques precisam ser “desovados” e isso determina a redução dos preços com a proximidade do Natal”, ressalta o superintendente do Procon, Lamartine Santos Ribeiro.

Foram novamente pesquisados nove estabelecimentos e um total de 260 itens. Variações surpreendentes foram encontradas, como no caso da Castanha do Pará com Casca com 164,2% de diferença entre o maior e o menor preço nos estabelecimentos pesquisados. O Procon chama atenção para os panetones, bebidas, frutas secas e castanhas que puxam as variações, sendo interessante procurar pelos melhores preços.

No rol das dez maiores variações seguem ainda: a Ameixa seca sem Caroço – 86,9%; Ameixa seca com Caroço – 76,4%; Espumante Piagentini Rose 660ml – 71,5%; Espumante Piagentini Branco 660ml – 71,5%; Panetone Nestle Prestigio 500g – 63,8%; Dom Bosco tinto 750ml – 62,7%; Panetone Vilage com Frutas 500g – 59,1%; Cesta Bauducco Pequena – 58,7%; Panetone Nestle moça com Frutas 500g - 58,4% e Sidra Cereser Maçã – 56,3%.

Sobre os estabelecimentos, a pesquisa mostra que, dos 119 itens encontrados no Fort Atacadista, 60 estão com os menores preços no geral e 19 têm os maiores preços, os demais não se localizam nos extremos (maior ou menor preço). Todos os estabelecimentos possuem itens entre os mais caros e itens entre os mais baratos, assim, a grande economia seria alcançada com a seleção dos melhores preços em cada loja. Apesar de ter itens mais caros do que em outros estabelecimentos, o Fort Atacadista apresenta mais vantagens em termos de preços.

“Reforçamos nosso entendimento de que, pesquisar gera economia e que a pesquisa do Procon/MS é um importante referencial para o consumidor já que inúmeros outros estabelecimentos trabalham com os produtos pesquisados”, afirma Lamartine.

Leia Também