Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BONS RUMORES

Privatização da BR-163 surge como esperança econômica para cidades

Privatização da BR-163 surge como esperança econômica para cidades
12/01/2014 00:00 - da redação


A privatização da BR-163 deve colocar os municípios de Mato Grosso do Sul no centro do desenvolvimento do país. A previsão é do especialista em infraestrutura Fernando Marcondes que aponta uma descentralização dos grandes centros, como São Paulo e Rio de Janeiro, com a concessão da estrada para o grupo CCR, maior operador de rodovias privadas do Brasil. “As cidades mais antenadas vão aproveitar a oportunidade”, disse. A reportagem está na edição de hoje (12) do jornal Correio do Estado.

De acordo com Fernando, a melhoria nos locais por onde a BR-163 passa vai ser visível nos próximos cinco anos. “Os benefícios devem despertar interesse de logística que muda o panorama desses locais”, aponta.

Segundo a publicação, o trecho, concedido por 30 anos, terá pedágio de R$ 4,381 referente a cada 100 quilômetros de rodovia. “Essa é uma realidade com a qual o cidadão precisa conviver. O Estado não tem dinheiro para investir e precisa da iniciativa privada que obtém lucro com o pedágio. É um dinheiro que tem resultado, diferente de outros impostos que pagamos e não vemos para onde vão”, explica o especialista.

A expectativa é que a duplicação comece pelos trechos mais movimentados da rodovia: Anel Viário da Capital, Campo Grande–Nova Alvorada do Sul, e entre a Ponte Ayrton Senna, na divisa com o Estado do Paraná, até Mundo Novo.

A matéria é assinada por Beatriz Longhini. 

Felpuda


Partido está aos poucos montando a que vem sendo chamada de “chapa do quartel”, pois os pré-candidatos são oriundos da caserna. Há quem diga que os dirigentes da legenda ainda estão querendo pegar carona no “fenômeno Bolsonaro”, esquecendo-se que o presidente, embora vindo da área militar, está na política há 30 anos e o seu programa de governo agradou 57,7 milhões de eleitores. Dizem que tchurminha será obrigada a adicionar mais ingredientes no currículo, senão...