Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PROPINA

Prisão de Deborah Guerner não foi motivada pela Operação Caixa de Pandora, informa MP

Prisão de Deborah Guerner não foi motivada pela Operação Caixa de Pandora, informa MP
20/04/2011 18:10 - AGÊNCIA BRASIL


A prisão da promotora Deborah Guerner e do marido dela, Jorge Guerner, nesta quarta-feira (19), não foi motivada pela Operação Caixa de Pandora da Polícia Federal, que investiga o escândalo do pagamento de propina a políticos e empresários do Distrito Federal. Segundo informou a Procuradoria Regional da República da 1ª Região (PRR1), o casal Guerner teve a prisão preventiva decretada por suspeita de formação de quadrilha e falsificação de documentos, delitos que teriam sido praticados em São Paulo.

No Distrito Federal, Deborah Guerner é acusada de extorquir dinheiro do ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda para poupá-lo de investigações sobre irregularidades no trato do dinheiro público, como autorizar contratos sem licitação e receber propina. O outro denunciado é o ex-procurador-geral de Justiça do DF Leonardo Bandarra, que também teria se beneficiado do esquema de corrupção.

Em relação à Caixa de Pandora, uma nova denúncia feita na última sexta-feira (15) pelo procurador Ronaldo Albo afirma que a promotora teria cometido fraude processual ao simular insanidade mental para não ser punida pelos crimes pelos quais responde. O MP afirma que há documentos que comprovam que ela chegou a treinar com um psiquiatra para parecer insana diante das autoridades. A juíza Mônica Sifuentes, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, ainda vai decidir se aceita a nova acusação contra Guerner.

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.