Terça, 20 de Fevereiro de 2018

PROGNÓSTICO

Primavera deve ter menos chuvas este ano

21 SET 2010Por 08h:11

anahi zurutuza

A primavera é o período de transição das estações secas (outono e inverno) para a estação chuvosa (verão), por isso, para esta época do ano é sempre esperado chuvas mais intensas, volumosas e frequentes. Contudo, mesmo depois de enfrentar mais de 60 dias de estiagem, a previsão da primavera — que tem início, em Mato Grosso do Sul, às 23h09min de amanhã —, para todas as regiões do Estado, é de que o volume de chuvas fique 10% abaixo das médias históricas e o tempo continue seco com a umidade relativa do ar abaixo dos 20% em alguns dias.
O prognóstico é do meteorologista Natálio Abrahão, responsável pela Estação Meteorológica, Radiométrica e Ambiental da Anhaguera/Uniderp. Segundo Abrahão, para a região central do Estado, por exemplo, o
“normal” para os próximos três meses seria chover, pelo menos, 507 milímetros. No entanto, a previsão é de que o acumulado das precipitações de outubro, novembro e dezembro deste ano não passe dos 455 milímetros. “A situação se repete para todas a regiões”, afirma.
Segundo o meteorologista, o motivo da característica peculiar à primavera de Mato Grosso do Sul deve-se ao fato de o fenômeno La Niña estar atuando intensamente este ano. “A maior característica do evento La Niña (resfriamento das águas do Oceano Pacífico Equatorial) é a irregularidade das chuvas no centro-sul do Brasil, incluindo-se principalmente Mato Grosso do sul. E aí reside o fato de ausência de chuvas no Estado. As precipitações podem ocorrer com espaços maiores”.

Umidade e ventos
A umidade relativa do ar, apesar de sempre apresentar níveis melhores durante a estação, pode continuar registrando índices abaixo dos 20% nos próximos três meses, conforme o meteorologista. Neste inverno, foram registrados em Mato Grosso do Sul, segundo Abrahão, os menores índices da história da climatologia do Estado, com 6% em setembro em São Gabriel do Oeste e 7% em regiões do norte e oeste de MS. “Não que seja regra, mas devem continuar havendo dias bem secos nos meses de outubro e novembro”, prevê o meteorologista.
A primavera é período também de ventos fortes. “As frentes frias que adentrarão pelo sul do Estado, principalmente nos meses de outubro e depois em novembro, devem ser acompanhadas de rajadas de ventos, em alguns casos, acima dos 50 quilômetros por hora, no centro-sul do Estado. Estas frentes associadas aos ventos fortes podem trazer também, trovoadas e granizos nesses dois primeiros meses da estação”.

Sol e calor
Moradores de algumas cidades, como Campo Grande, Pedro Gomes (norte de MS) e Ladário (oeste) devem enfrentar calor acima dos 40 graus, nos horários de pico do sol, já no mês de outubro. De acordo com Natálio Abrahão, as temperaturas começam a subir gradativamente, mas médias esperadas tanto para o centro, quando para o norte, leste e oeste do Estado são de 25 a 27 graus. Já para o sul, sudoeste e sudeste, os termômetros devem oscilar entre 21 e 22 graus.
O meteorologista alerta também para o aumento da radiação ultravioleta, podendo atingir índices extremos e preocupantes, acima de 10. Por isso, é recomendável evitar exposição ao sol entre as 10h e 15h.

Leia Também