Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

TRÁFICO

PRF apreende cocaína diluída em cachaça

18 OUT 2010Por Silvia Tada07h:00



Um homem de 41 anos foi detido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR-262, em Corumbá, com três quilos de cocaína. Parte do entorpecente estava diluída em uma garrafa de aguardente, enquanto outras porções estavam camufladas no fundo falso de duas malas e em um objeto de decoração. A droga, comprada por R$ 12 mil, seria levada para a Suíça e revendida a US$ 180 mil, conforme informou o suspeito, que foi detido e levado para a Polícia Federal em Corumbá.
Segundo a PRF, o homem é brasileiro, mas mora na Suíça e trabalha como vendedor. Ele estava em ônibus que fazia a linha Corumbá-Campo Grande, que foi parado na fiscalização.
Em outras operações da PRF, foram apreendidos mais de 300 quilos de maconha. Três flagrantes aconteceram em Ponta Porã. Um adolescente de 17 anos transportava 2,5 quilos de maconha presos ao corpo; 130,7 quilos foram apreendidos em uma caminhonete S10, que era conduzida por um homem de 32 anos. O flagrante foi feito por cães farejadores.
Em outro flagrante, duas mochilas com 17,1 quilos foram encontradas com um jovem de 18 anos. Em Três Lagoas, foram apreendidos 160 quilos da mesma substância em uma Scania.

Campo Grande
Policiais do Tático do 10º Batalhão encontraram, em um veículo Astra, de cor prata, cerca de meia tonelada de maconha. O carro estava escondido no quintal de uma residência do Jardim Campo Alto, região da saída para São Paulo. Três mulheres (mãe, filha e nora), que estavam na casa no momento da abordagem, foram detidas.
Conforme as suspeitas relataram aos policiais militares, o filho da dona da casa recebeu um amigo, por volta das 6h30min de ontem, que pediu para deixar o carro estacionado. O filho permitiu e saiu da residência, junto com o conhecido. Quando a polícia chegou, a mãe fez contato com o filho para que retornasse à casa para explicar a situação aos policiais. No entanto, ele se negou e somente as três mulheres foram detidas.
Droga e acusadas foram levadas para a Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar).

Leia Também