Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

RESTRIÇÃO À PESCA

Prevenção e fiscalização resultam em redução de crimes ambientais durante a Piracema

Prevenção e fiscalização resultam em redução de crimes ambientais durante a Piracema
01/02/2014 18:30 - DA REDAÇÃO


A Polícia Militar Ambiental (PMA) divulgou o balanço parcial da piracema, que se iniciou em novembro e se e encerra em 28 de fevereiro. Durante os três meses de fiscalização nos rios de Mato Grosso do Sul, o volume do pescado apreendido foi o menor registrado desde 2003.

Durante os meses de Outubro e Novembro de 2013, a operação “Pré – Piracema” e a operação “República”, tinham como objetivo a prevenção a pesca predatória. As operações e a intensa fiscalização ajudaram a reduzir os números, sendo autuado menos pescadores e reduzindo em mais de 60% o número de multas.

A operação “Pré – Piracema” que nos anos anteriores era realizada no final de outubro até o dia 3 de Novembro se estendeu até o dia 6 de Novembro o ano passado. A polícia reforçou a fiscalização no mês de outubro, pois é quando vários cardumes já se encontram formados e a quantidade de turistas e pescadores do Estado se intensifica.

Somente a pesca de subsistência está permitida no período de piracema, quando se pode capturar até 3 kg de pescado, respeitadas as medidas e proibida à comercialização.

Além das operações preventivas à pesca ilegal, a PMA fiscaliza intensivamente os pontos críticos (cachoeiras e corredeiras), buscando a apreensão de pessoas no início da pesca, quando ainda não conseguiram capturar grande quantidade de pescado.  

Felpuda


Engana-se quem acha que diminuiu a voracidade de ter fatia de cobiçado bolo por parte de “quem manda”. O recuo realmente houve, mas só por enquanto e por uma questão de estratégia, até porque, nas primeiras investidas, as portas não se abriram. E continuam fechadas. Mas quem conhece bem a dita figurinha aposta que ela não desistirá até encontrar, digamos,  um “chaveiro amigo”. Essa gente não sossega nem diante da pandemia... Afe!