Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Pressionado, Edil pode recuar e aceitar suplência

17 JUN 10 - 06h:12
lidiane kober

Aliados do governador André Puccinelli (PMDB) pressionam o vice-prefeito Edil Albuquerque (PMDB) para recuar e aceitar ser suplente do vice-governador Murilo Zauith (DEM) na corrida por vaga de senador. Edil saiu da disputa por sentir-se excluído, depois de Puccinelli dar como certa a eleição de Waldemir Moka (PMDB) e de Delcídio do Amaral (PT) ao Senado. Ele chegou a romper publicamente sua relação política com o governador.
Ontem, o vice-prefeito reuniu-se com um grupo de vereadores de Campo Grande e, depois, com Puccinelli e o prefeito Nelsinho Trad (PMDB), na governadoria. “Os apelos foram sequenciais para eu voltar a ser o suplente do Murilo”, contou Edil. “O vice-governador disse que, se eu não sair, ele não sai (candidato)”, completou.
Diante da pressão partidária, antes de decidir, Edil quer conversar mais com sua família e com Nelsinho. “É difícil dizer não para um amigo”, reconheceu. Segundo ele, até o final desta semana ou, no mais tardar, na próxima segunda-feira, sua decisão será anunciada.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

QUATRO MORTES

Sobe para 21 o número de casos suspeitos de intoxicação por cerveja

Abertura de mercados internacionais ampliam perspectivas econômicas, diz presidente do Sicredi
COOPERATIVISMO

Abertura de mercados internacionais ampliam perspectivas econômicas, diz presidente do Sicredi

Confira o resultado final <br>do vestibular da UFMS
EDUCAÇÃO

Confira o resultado final
do vestibular da UFMS

Bolsa acentua alta no fim e renova máxima histórica, a 118.861,63 pontos
MERCADO FINANCEIRO

Bolsa acentua alta no fim e renova máxima histórica, a 118.861,63 pontos

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião