Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Preso na fronteira ex-policial acusado de seis execuções

26 MAI 10 - 08h:39
Sílvio Andrade, Corumbá

Acusado de sequestrar o traficante William Rosales e executar seis pessoas em San Ramón, entre bolivianos e sérvios, no último dia 14, o ex-capitão da Polícia Militar daquele país, Orlando Araújo, foi preso na fronteira da Bolívia com Corumbá. O ex-militar foi localizado em Arroyo Concepción, vilarejo distante cerca de 200 metros do posto fiscal da Receita Federal.
Segundo os jornais de Santa Cruz de la Sierra, Araújo foi preso no último dia 22, em um posto de controle, e seria a peça-chave que faltava para a solução do massacre do grupo que fazia a segurança particular do traficante William Rosales, que continua desaparecido. A mãe de Rosales disse ao jornal El Deber que o filho foi ameaçado pelo ex-policial.
De acordo com autoridades bolivianas, o confronto ocorrido em San Ramón teria sido acerto de contas entre quadrilhas formadas por policiais e ex-policiais, as quais integram cartéis de narcotraficantes com ligações internacionais que operam no país. Com a prisão de Orlando Araújo, a polícia espera localizar Rosales, que também estaria na fronteira com Corumbá.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Três pessoas morrem em queda de avião em Belo Horizonte
ACIDENTE AÉREO

Três pessoas morrem em queda de avião em Belo Horizonte

EM RAZÃO DOS PROTESTOS

Voos que sairiam do Brasil para Santiago estão sendo cancelados

Consumidor pode cancelar pacotes sem ônus ou multas
DEMITIDO DO GOVERNO

Marcos Cintra é chamado para reestruturar o PSL

Cintra foi demitido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes
Chuva não dá trégua e cerca de parque não foi reparada; animais já andam pela via
TEMPORAL

Chuva não dá trégua e cerca de parque não foi reparada; animais já andam pela via

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião