terça, 17 de julho de 2018

CORUMBÁ

Preso acusado de abusar de menina de 10 anos

21 JAN 2011Por BRUNA LUCIANER, COM INFORMAÇÕES DO DIÁRIO ON-LINE07h:15

 

O pedreiro Paulo Rodrigues Arteaga, de 21 anos, foi preso na manhã de quarta-feira, em Corumbá, acusado de estuprar uma criança de 10 anos por mais de um ano. Ele morava de favor na casa da vítima. Paulo foi detido no Loteamento Pantanal por equipes da Delegacia de Atendimento à Infância, Juventude e Idoso (DAIJI).

A denúncia chegou à delegacia em outubro do ano passado, mas o acusado fugiu ao saber das investigações. O pedreiro só foi preso após denúncia anônima informar o paradeiro dele e que ele estaria abusando de outra garota, de 11 anos. De acordo com a delegada Priscila Anuda Quarti Vieira, titular da DAIJI, Paulo Rodrigues Arteaga responderá pelo crime de pedofilia.

De acordo com informações do site Diário On Line, ele confessou o abuso da menina de dez anos e ainda contou à polícia como agia. “O autor confessou o crime, inclusive a conjunção carnal. E que para o ato, dava presentes à menina. O autor era filho de criação da família”, contou a delegada.

Ainda segundo a delegada, ele foi trabalhar de pedreiro na casa e, por não ter pai nem mãe, a mãe da menina se comoveu com a situação e o trouxe para morar na casa dela. “Ele se tornou muito amigo da menina. A mãe pensou que fosse apenas uma relação de irmão e não uma relação amorosa. Ela deixava os dois sozinhos e nesses momentos acontecia o fato [o abuso]. Aos poucos ia seduzindo a criança”, esclareceu a delegada.

Antes de a mãe da garota descobrir o abuso – foi ela quem denunciou o caso à DAIJI –, o pedreiro foi morar sozinho, mas manteve o relacionamento amoroso. “Depois que ele conquistou a menina, ele resolveu se mudar. Falou para a mãe dela que estava tendo um caso com outra garota e por isso iria se mudar. Só que ele ficou ao mesmo tempo com essa namorada e com a criança, por mais de um ano”, disse a delegada Priscila. “A menina mentia que ia para a escola. O autor pagava um moto-taxista para levá-la até a casa dele”, complementou.

Segunda acusação

O pedreiro negou a denúncia do abuso da segunda criança, de 11 anos. Mesmo diante da negativa, as investigações apontam para o estupro. “As informações fornecidas foram checadas, a DAIJI ouviu testemunhas e chegou à conclusão de que o autor teria também abusado da segunda vítima. Foi registrado outro boletim de ocorrência em que o autor foi novamente indiciado por estupro de vulnerável, na data de 19 de janeiro”, contou a delegada que investiga o caso.

A criança de dez anos, abusada por mais de um ano pelo pedreiro Arteaga, vai passar por atendimento psicossocial para amenizar os traumas causados pelo crime.

Leia Também