Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

capital

Presídio feminino lança amanhã programa antidrogas

6 JUN 2011Por da redação15h:18

O Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi” (EPFIIZ), em Campo Grande, realiza amanhã (7), às 9h, a abertura do “Programa de Ações Antidrogas”. A iniciativa está sendo desenvolvida pelo Setor Psicossocial e tem como objetivo criar estratégias que sensibilizem as custodiadas quanto aos malefícios do uso de entorpecentes, trabalhando desde a conscientização contra ao consumo, até a recuperação das que se tornaram dependentes.

O programa será promovido pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) em parceria com o Conselho Estadual Antidrogas (CEAD), com a Escola Estadual Polo “Profª. Regina Lúcia Anffe Nunes Betine” e com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran/MS). 

A ação, de cunho educativo, terá enfoque em duas vertentes: qualificar as servidoras penitenciárias do EPFIIZ quanto à identificação dos usuários e os malefícios do uso; e realizar palestras para as reeducandas, enfocando as consequências trazidas pelo uso de entorpecentes e os tratamentos disponíveis.

De acordo com a diretora do presídio, Dalma Fernandes de Oliveira, a expectativa é que sejam construídas, junto com a equipe técnica da unidade penal, estratégias que promovam melhorias nas relações entre as custodiadas e a conscientização quanto ao consumo e a venda de drogas.

A psicóloga Sana Mara Araujo Estigarribia, uma das responsáveis pelo projeto, explica que a iniciativa será um complemento às ações que já vêm sendo desenvolvidas na unidade penal, como a “Oficina Socioeducativa: Construindo Novas Práticas” e o “Projeto Esperança”, que trabalham com a qualificação profissional e ações terapêuticas no sentido de afastarem as internas do uso de drogas e da criminalidade.

Segundo a assistente social do EPFIIZ, Angélica Rosa de Almeida, no estabelecimento prisional o combate ao vício em drogas também é reforçado com atendimento de uma equipe multidisciplinar e fiscalização feita pela equipe da Segurança Custodia, além de encaminhamento, quando necessário, de internas para tratamento medicamentoso por meio do Centro de Apoio Psicossocial Álcool e Droga (CAPS-AD).

(Com informações da Assessoria do Governo)

Leia Também