Terça, 19 de Junho de 2018

Presidentes das Câmaras se unem contra corte de duodécimo

29 MAI 2008Por 20h:07
     

Lívia Ferreira

 

Presidentes de Câmaras Municipais das capitais se reúnem na próxima quarta-feira em Brasília para iniciar movimento contrário ao corte de duodécimo previsto na Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que aumenta o número de vereadores. Segundo o presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, Edil Albuquerque (PMDB), que também participa do encontro, a PEC, que ainda precisa ser aprovada em segunda votação na Câmara dos Deputados, enfrenta resistência dos vereadores.

Se a PEC for aprovada como está, o número de vagas na Câmara de Campo Grande passará dos atuais 21 para 27 vereadores, mas seu duodécimo será reduzido de R$ 2,2 milhões mensais para R$ 2 milhões por mês. "Não tem cabimento aumentar o número de vereadores e diminuir o duodécimo. Esta equação não fecha", argumentou Edil.

O presidente afirmou ser contrário, tanto à redução do duodécimo, quanto ao aumento do número de vereadores. "Campo Grande não precisa de 27 vereadores. Vinte e um é um número satisfatório."

        Os encontro dos presidentes das Câmaras está previsto para as 10h (horário de Brasília) no gabinete do senador Pedro Simon (PMDB-RS).

Leia Também