Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 18 de dezembro de 2018

poder

Presidente do PSDB critica 'rolo compressor' de Dilma

3 ABR 2011Por terra02h:44

O deputado federal Sérgio Guerra (PE), presidente nacional do PSDB, reclamou neste sábado em Belo Horizonte daquilo que ele chamou de "rolo compressor" do governo Dilma Rousseff sobre o Congresso Nacional. Guerra participa do II Encontro dos Governadores do PSDB em um hotel da capital mineira e apesar de elogiar o jeito discreto da presidente governar, fez várias criticas da forma como Dilma conduz as negociações no Legislativo.

"O fato concreto, do ponto de vista do Congresso, onde as coisas se desenvolvem neste aspecto, tudo o que se deu foi um rolo compressor, negociação zero. A votação do salário mínimo foi um belo exemplo. Ela não conversou sobre o salário mínimo nem conosco, nem com os sindicatos, nem com as forças sociais. Ela fixou o padrão dela por cima de pau e pedra," disse.

Para o deputado, em todas as ações nos três primeiros meses de governo, a presidente adota um discurso diferente das medidas tomadas: "A presidente fez um discurso que em grande parte agrada a oposição, porque subscreveu ações do PSDB (..) Uma coisa é a palavra, outra coisa são os atos. Os atos não são assim, por exemplo, o corte (de R$ 50 bi) que o governo fez e não diz porque e pra quê.

O presidente do PSDB disse que o encontro entre os governadores e lideranças do partido visa "uma avaliação geral" da conduta da sigla, recém-derrotada nas eleições presidenciais com o candidato José Serra: "Há um mês e meio em encontro aqui em Belo Horizonte definimos esta agenda. (...) Será discutida uma proposta de pequisa que vai fundamentas as futuras decisões do partido em várias areas, como por exemplo, a Segurança Pública. Queremos definir ações que vão ser tornar marcas do partidos,¿ disse o deputado. "Queremos definir um padrão para definir que projetos dar mais relevância. Por isso vamos ouvir todos os governadores."

Sérgio Guerra afirmou que as decisões tomadas pelo partido neste sábado já poderão ser vistas de forma mais clara, por exemplo, nas inserções veiculadas nas emissoras de televisão: "O PSDB vai fazer um discurso seguro, equilibrado, de oposição".

Por fim, o presidente dos tucanos criticou a criação de um novo partido pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, o PSD. Para Guerra, Kassab "está pegando desconectados Brasil afora e isso não vai afetar o PSDB".

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também