Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

Presidente do Chile está otimista com o trabalho de resgate dos mineiros soterrados há 19 dias

24 AGO 2010Por 20h:15
     

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, disse hoje (24) que o governo fará todos os esforços para garantir que os 33 trabalhadores soterrados em uma mina de cobre e ouro em San José sejam resgatados com vida o mais rápido possível. Piñera participou nesta terça-feira de um culto ecumênico em homenagem aos mineiros, na capela da sede do governo chileno, o Palácio de La Moneda.

"Vamos fazer o que for humanamente possível para salvá-los, para que voltem a ver a luz do sol e possam abraçar suas mulheres e mães, seus pais e filhos que os esperam tão ansiosamente e com muito amor", disse o presidente. "Os mineiros estão vivos, unidos na fé e na luta, e preocupados com os outros [mineiros], pois não sabiam se tinham conseguido chegar à superfície".

As informações são da Presidência da República do Chile. Em homenagem aos trabalhadores, soterrados há 19 dias, foram hasteadas 33 bandeiras ? uma delas da Bolívia, para o trabalhador boliviano que está entre as vítimas. "Nós construímos este memorial para uma homenagem e um tributo. Mas a tarefa ainda não terminou", disse Piñera.

O presidente agradeceu a solidariedade prestada por vários países, como Peru, Espanha e Colômbia, entre outros. "Meu telefone não parou de tocar", disse ele. "Houve muitos chamados felizes com a notícia de que os 33 mineiros, presos no fundo da montanha, estão vivos."

O acidente com os 33 trabalhadores chilenos ocorreu no último dia 5. Desde então, as autoridades chilenas tentam resgatá-los em meio a uma série de dificuldades geradas pelo terreno, pela vegetação e pelas condições climáticas da região. Os mineiros foram localizados no último domingo (20) e informaram que todos estão vivos. No entanto, reclamam de fome e de sede.

A previsão é que o resgate ocorra em até quatro meses. O chefe das operações, Andres Sougarret, disse que o tempo de duração do resgate depende de quanto tempo vai durar o trabalho de abertura de um túnel com largura suficiente para uma retirada segura dos mineiros. O único canal de comunicação com as vítimas é um duto de cerca de 15 centímetros de diâmetro. Ontem (23) foram enviadas por esse duto cápsulas com alimentos e remédios.

Os suprimentos estão sendo enviados aos mineiros embalados em pequenas cápsulas de plástico azul, apelidadas de palomas (pombas, em espanhol). Além de água, estão sendo enviadas cápsulas com comida em forma de uma solução altamente calórica de glicose, além de medicamentos para diminuir acidez estomacal. O ministro de Minas do Chile, Laurence Golborne, fez o primeiro contato por telefone com os mineiros por meio de uma linha conectada com o interior da mina.

Leia Também