Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

desafio

Presidente do BC assume com juro na mira

17 JAN 2011Por Leandro Modé (AE)00h:00

O novo presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, enfrenta logo no início do mandato o duro desafio de trazer a inflação oficial do País de volta para a meta de 4,5% ao ano. Em 2010, o IPCA subiu 5,91%. O primeiro passo nessa direção deverá ser dado nesta semana, quando ele comandará sua primeira reunião do Comitê de Política Monetária (Copom).

No encontro, que começa terça (18) e termina quarta-feira (19), Tombini e seis diretores do BC vão definir o novo nível da taxa básica de juros (Selic). Há um consenso no mercado financeiro de que a taxa será reajustada. A aposta mais frequente é de uma elevação de 0,50 ponto porcentual, para 11,25% ao ano. A provável alta fará o Brasil ficar ainda mais atrativo para os investidores internacionais.

A Selic é a mais alta taxa básica do mundo, tanto em termos reais (cálculo que desconta a inflação) quanto nominais. Nos países desenvolvidos, os juros estão próximos de zero.

Leia Também