Domingo, 10 de Dezembro de 2017

CASO NEYMAR

Presidente do Barcelona renuncia

23 JAN 2014Por FOLHA PRESS14h:13

O jornal catalão "Mundo Deportivo" traz a informação de que Sandro Rosell, presidente do Barcelona, decidiu renunciar ao seu cargo diante da intensificação das investigações em torno da transferência do atacante Neymar para o clube espanhol, em maio de 2013.

Segundo o mesmo jornal, ele deve apresentar sua renúncia à diretoria do clube às 18h locais (15h de Brasília), e em seguida deve tornar pública sua decisão em uma coletiva de imprensa. Rosell renuncia após quatro anos na presidência do clube catalão seu atual mandato terminaria em 2016.

Em sua edição de segunda-feira, o jornal madrilenho "El Mundo" afirmou, com base em documentos da Justiça espanhola a que teve acesso, que a transferência de Neymar para o Barcelona envolveu valores maiores que os anteriormente anunciados.

Segundo o jornal, o atacante deixou o Santos pela quantia de 95 milhões de euros (aproximadamente R$ 300 milhões), o que resulta em uma omissão de 38 milhões de euros (aproximadamente R$ 120 milhões) em relação aos 57 milhões de euros (cerca de R$ 180 milhões) declarados inicialmente pelo clube catalão.

Durante a semana, o juiz Pablo Ruz, da Audiência Nacional da Espanha, acatou a denúncia apresentada por um sócio do Barcelona, Jordi Cases.

Na manhã de hoje, Rosell convocou uma reunião de emergência com a diretoria do Barcelona para discutir as atitudes que serão tomadas diante das investigações da Justiça espanhola. A despeito da decisão final de Rosell sobre a renúncia, a diretoria do clube catalão manifestou desejo de que o mandatário mantenha-se no cargo.

Um dos diretores do clube defendeu a necessidade de se tomar decisões com serenidade, e salientou que a atual diretoria tem proximidade com Rosell e portanto, caso ele renuncie de fato, será preciso convocar novas eleições para a presidência.

Caso se concretize, este não será o primeiro pedido de renúncia apresentado por Rosell, que em 2005 deixou seu cargo de vice-presidente de esportes do clube por divergências com Joan Laporta, presidente do Barcelona à época. 

Leia Também