Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

NOVA PRESIDENTE

Presidente da Fifa diz que Copa vai impulsionar o País

1 NOV 2010Por Reuters17h:00

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, deu os parabéns nesta segunda-feira à presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), que estará à frente do país durante a maior parte da preparação e na Copa do Mundo de 2014 que acontecerá no Brasil.
Dilma, que como ministra-chefe da Casa Civil do presidente Luiz Inácio Lula da Silva acompanhou de perto projetos de infraestrutura diretamente ligados à organização do Mundial, foi eleita a primeira mulher presidente do país no domingo, com 56 por cento dos votos no 2o turno contra José Serra (PSDB).
"É uma grande honra para mim parabenizá-la pela sua vitória na eleição para a Presidência da República Federativa do Brasil", escreveu o suíço Blatter em carta a Dilma, publicada no site da Fifa.
De acordo com o dirigente, a realização da Copa do Mundo daqui a quatro anos vai ajudar no desenvolvimento do país.
"Tenho certeza de que a Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014 representará um importante impulso para o desenvolvimento a longo prazo e duradouro nas áreas de serviços sociais, cultura e educação e de que a força do futebol terá uma influência positiva sobre a sociedade brasileira", acrescentou o dirigente.
O governo federal tem papel fundamental na organização do Mundial, principalmente nas obras necessárias de infraestrutura de transporte, aeroportos, acomodação, entre outros.
O plano de investimento anunciado pelo presidente Lula prevê 11 bilhões de reais para mobilidade urbana nas 12 cidades-sedes da Copa, além de 5,5 bilhões de reais para aeroportos e mais 1 bilhão de reais para incentivar o setor hoteleiro. No caso dos estádios, que estão a cargo de governos estaduais ou de clubes, a União participa com uma linha de financiamento do BNDES de 4,8 bilhões de reais.
RIO-2016
O Comitê Olímpico Brasileiro também parabenizou a presidente eleita, e disse que a vitória de Dilma garante o cumprimento pelo próximo governo de todos os compromissos firmados pelo Brasil para a realização da Olimpíada de 2016 no Rio de Janeiro.
"Estamos certos de que o futuro governo cumprirá as garantias dadas ao Comitê Olímpico Internacional (COI) quanto à organização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016, bem como o apoio à preparação dos atletas brasileiros para este evento", disse Carlos Arthur Nuzman, presidente do COB e chefe da organização dos Jogos, em comunicado.
Assim como para o Mundial, o governo federal também será o maior financiador da Olimpíada. A organização tem um gasto total previsto de mais de 28 bilhões de reais, dos quais quase 25 bilhões provenientes dos cofres públicos, para tratar questões como a infraestrutura de transporte, a despoluição da Baía de Guanabara e das lagoas da cidade, e a construção e reforma das arenas esportivas.

Leia Também