Domingo, 18 de Fevereiro de 2018

DROGA

Presidente boliviano admite que parte da cocaína vai para o tráfico

17 OUT 2010Por 09h:00

O presidente da Bolívia, Evo Morales, admitiu pela primeira vez que parte da coca produzida na região do Chapare, centro da Bolívia, é destinada ao mercado ilegal do narcotráfico.

Durante a abertura de um encontro de camponeses neste sábado, o presidente recriminou os sindicatos pelas tentativas de aumentar as produções de coca para além dos limites permitidos por lei. "Companheiros, vocês sabem que uma parte da coca é desviada para o problema ilegal (do narcotráfico)", disse.

O presidente, que é um dos principais dirigentes dos sindicatos de cocaleiros da região do Chapare, pediu que os produtores "tomassem consciência dessa realidade" e não exigissem a expansão das plantações.

Morales pediu responsabilidade dos camponeses e insistiu que a área de produção de coca na região "não deve passar dos 7 mil hectares", porque o prestígio internacional do governo está em jogo.

"Temos que ser responsáveis conosco, com as novas gerações, com a Bolívia e com o mundo", declarou.

Ele afirmou ainda que o aumento das plantações de coca "serve para que os gringos justifiquem" o descrédito à luta contra as drogas no país.

Com informações da BBC Brasil

Leia Também