quarta, 18 de julho de 2018

CHUVAS

Presidência divulga balanço de ações

16 JAN 2011Por FOLHA ONLINE14h:58

Em meio às críticas por falta de medidas preventivas e pela atuação do governo na tragédia da região serrana do Rio de Janeiro, a Secretaria de Comunicação da Presidência divulgou neste domingo (16) um balanço das ações adotadas para ajudar as vítimas das enchentes que deixaram ao menos 613 mortos.

O documento afirma que a presidente Dilma Rousseff tomou "todas as providências necessárias para o atendimento às vítimas" da região, mobilizando vários órgãos, e que o "governo federal continuará acompanhando a situação e dará total prioridade ao apoio à população".

Segundo o governo, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome disponibilizou para a região 8.000 cestas de alimentos. A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), do Ministério da Agricultura, encaminhou 44 toneladas de alimentos para Teresópolis, Petrópolis, Nova Friburgo e Areal, cabendo 11 toneladas a cada uma.

Como após as chuvas aumenta o risco de doenças infectocontagiosas, o Ministério da Saúde encaminhou 7 toneladas de medicamentos e insumos, que são capazes de atender 45 mil pessoas por um período de um mês. Houve ainda reforço de pessoal nos hospitais federais do Rio com 50 nas regiões atingidas, além de 300 profissionais de saúde estão de prontidão para atendimento hospitalar.

Na sexta-feira, a presidente liberou R$ 100 milhões para ajudar as cidades atingidas pelas chuvas no Estado do Rio de Janeiro.

O dinheiro faz parte de um total de R$ 780 milhões autorizados, por meio de medida provisória editada na quarta-feira (12), para as cidades e Estados prejudicados pelas chuvas.

Para atender aos desabrigados, o Ministério da Integração Nacional colocou à disposição da região 4.000 barracas de lona.

O Ministério da Justiça deslocou 255 homens da Força Nacional de Segurança para Teresópolis e Nova Friburgo, dois dos cinco municípios afetados pelas chuvas na região serrana do Rio. Eles têm a missão de fazer patrulhamento nas ruas, evitar saques, resgatar vítimas em locais de difícil acesso e ajudar no reconhecimento de corpos.

Ao todo, 586 militares do Exército, da Marinha e da Aeronáutica também atuam no socorro às vítimas.

Na quinta-feira, após visitar as áreas devastadas pelas chuvas na região serrana do Rio, a presidente disse que o momento vivido pelos moradores é "dramático" e que as cenas que presenciou são "muito fortes". As enchentes também foram tema da primeira reunião ministerial do novo governo, na sexta-feira.

Dilma fez um relato do que viu na visita ao Rio e cobrou agilidade dos ministros nas ações que envolvam suas áreas.

O número de mortos em consequência das chuvas em cinco municípios da região serrana do Rio chegou a 613 na noite de sábado (14), segundo balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil. Equipes ainda buscam vítimas.

Leia Também