Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

MUNDO

Prêmio Nobel da Paz é demitido do banco que ele mesmo fundou

2 MAR 2011Por AFP12h:03

O bengalês Muhammad Yunus, Prêmio Nobel da Paz em 2006, foi demitido do banco pioneiro de microcréditos que ele mesmo fundou, o Grameen Bank, objeto de investigação por práticas financeiras. "O Bangladesh Bank (banco central) dispensou Yunus de suas funções na direção do Grameen Bank com efeito imediato", afirmou Muzamel Huq, presidente da instituição fundada pelo Nobel.

De acordo com Huq, Muhamad Yunus, 70 anos, foi destituído por ter violado uma cláusula do regulamento fundador do Grameen Bank, que data de 1983, sobre as condições da nomeação do diretor-geral. "Yunus foi nomeado diretor-geral do Grameen Bank em 2000 sem a aprovação do Banco Central de Bangladesh", explicou Huq.

"O artigo 14.1 prevê claramente que um diretor-geral deve ser nomeado pelo conselho de administração com o acordo prévio do Banco de Bangladesh", completou. Muhammad Yunus foi nomeado para o cargo por tempo indeterminado em 2000, sem a aprovação prévia do Banco de Bangladesh, e por isto foi destituído.

Yunus compareceu em janeiro a um tribunal de Bangladesh por uma acusação de difamação feita em 2007, o que complicou ainda mais a situação jurídica deste pioneiro dos microcréditos em seu próprio país.

Na semana passada, o governo ordenou uma investigação sobre as práticas financeiras do Grameen Bank, que dividiu com Yunus o Nobel da Paz de 2006. A situação demonstra, segundo analistas, as divergências entre Yunus e o primeiro-ministro do país, Sheikh Hasina.

Hasina, que acusa a organização de microcrédito de "chupar o sangue dos pobres", já havia iniciado uma disputa com o "banqueiro dos pobres" em 2007, quando Yunus criou o próprio partido político, que teve existência efêmera.

No mesmo ano, Muhammad Yunus afirmou em entrevista à AFP que a política em Bangladesh era apenas um tema de "poder para fazer dinheiro", o que deu início ao processo por difamação apresentado por um membro de um pequeno partido de esquerda.

O caso ficou esquecido até que Yunus foi convocado em janeiro por um tribunal 100 km ao norte da capital Dacca, onde participou em uma audiência por 10 minutos. Muhammad Yunus fundou o Grameen Bank para financiar os projetos de pobres agricultores bengaleses que não têm acesso aos créditos bancários habituais.

Alguns dos recentes escândalos na Índia demonstraram que o microcrédito pode ser desviado do objetivo original e ser assimilado ao oneroso crédito ao consumo. Alguns beneficiários cometeram suicídio. Yunus condenou as práticas.

Yunus, considerado um economista brilhante, fundou em 1976 o banco Grameen, o primeiro do mundo a conceder microcréditos a pessoas totalmente insolventes, e que em 1983 recebeu o status de banco.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também