Segunda, 18 de Dezembro de 2017

CONFLITOS

Premiê diz estar certo de vitória contra Al Qaeda em Falluja

8 JAN 2014Por FOLHA PRESS23h:00

O primeiro-ministro do Iraque, Nouri al-Maliki, disse hoje estar certo da vitória do Exército do país no combate à rede terrorista Al Qaeda, enquanto o Exército se prepara para uma grande ofensiva contra os militantes de Falluja, a 60 km da capital Bagdá.

A cidade está na província de Al Anbar, que há dez dias enfrenta a ascensão de milícias sunitas tribais e de militantes do Estado Islâmico do Iraque e do Levante, vinculado à rede terrorista Al Qaeda. Os combates entre os grupos continuaram hoje.

Em discurso, Maliki agradeceu o apoio da comunidade internacional na luta contra a Al Qaeda e convocou os militantes a se renderem, prometendo clemência. "O apoio nos dá a confiança de que estamos nos movendo no caminho certo e que o resultado será claro e decisivo: a erradicação desta organização corrompida".

O pronunciamento acontece um dia após o Exército mobilizar mais tanques nos arredores de Falluja, enquanto dentro da cidade os aliados da Al Qaeda disputam território com as tribos sunitas. Os líderes locais temem uma ofensiva similar à entrada do Exército americano em 2004.

No entanto, o líder do Estado Islâmico, Mohammed al-Adnani, defendeu a continuidade dos combates e disse às tribos sunitas que elas serão dominadas pelo chefe de governo, que é xiita. "Sunitas não baixem as armas, porque se vocês as depuserem agora, os xiitas reduzirão vocês a escravos e vocês não se erguerão mais".

Na manhã de hoje, confrontos foram registrados em bairros de al-Askari (leste) e Al-Shuhada (oeste). Esses setores também foram bombardeados. Não há informações sobre os grupos envolvidos nesses combates.

Pelo menos 250 pessoas morreram na onda de violência na região desde 30 de dezembro, quando o governo iraquiano desmontou um acampamento de manifestantes sunitas. Segundo o Crescente Vermelho iraquiano, mais de 13 mil famílias fugiram da cidade, sendo que 8.000 são ajudadas pela entidade.

Esta é a primeira vez desde a invasão americana, em 2003, que militantes da Al Qaeda tomam o controle de áreas do país. Um ataque contra Fallujah, majoritariamente sunita, poderia agravar ainda mais as tensões entre a minoria sunita e o governo dirigido pelos xiitas.
 

Leia Também