Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Prejudicados pelas chuvas, municípios terão R$ 15 milhões

28 JAN 10 - 22h:33CLODOALDO SILVA, DE BRASÍLIA
O Ministério da Integração Nacional vai liberar, no prazo de 30 dias, R$ 15 milhões para atender cinco municípios de Mato Grosso do Sul atingidos por desastres naturais provocados por chuvas. O recurso foi assegurado pelo ministro Geddel Vieira Lima na tarde de ontem, em reunião com prefeitos sulmato- grossenses, deputados federais e representantes do Governo do Estado. A decisão do ministro foi motivada pela solicitação de R$ 21 milhões apresentada pelos prefeitos de Coxim (R$ 1 milhão), Ivinhema (R$ 2,722 milhões), Miranda (R$ 655 mil), Aquidauana (R$ 1,9 milhão) e Novo Horizonte do Sul (R$ 15 milhões) para que recuperem os estragos causados pelas chuvas. O prefeito de Novo Horizonte do Sul, Marcílio Álvaro Benedito, afirmou que “estamos isolados, a situação é caótica. Nunca havia acontecido uma situação como esta, em que famílias ficaram desabrigadas e casas correm o risco de ruir por apresentar rachaduras”. A prefeitura constatou que 37 casas estão com rachaduras e 11 estão com a demolição prevista. Também as estradas vicinais e rodovias estão sem condições de tráfego, sendo que, até o momento, cinco fazendas estão ilhadas, afetando 30 famílias. Em Miranda e Aquidauana, os problemas são semelhantes, mas originados pela enchente causada pelos rios que cortam os municípios. O prefeito de Miranda, Neder Afonso da Costa Vedovato, enfatizou que “102 famílias estão desabrigadas. Estradas vicinais e ruas estão destruídas. O nosso pleito aqui é conseguir dinheiro para recuperar as moradias afetadas”. Para o prefeito de Aquidauana, Fauzi Suleiman, o relatório de avaliação dos danos apontou prejuízos de R$ 5,2 milhões no total, porém, o pleito ao Ministério é de R$ 1,9 milhão para recuperar oito pontes e atender mais de mil pessoas afetadas pela cheia do rio. Após ouvir os prefeitos, Geddel Vieira Lima determinou que a Secretaria de Defesa Civil da pasta atenda os pedidos, aproveitando a Medida Provisória 480, publicada ontem no Diário Oficial da União, que garantiu R$ 394 milhões para que o Ministério realize obras preventivas de desastres, socorro e assistência às pessoas atingidas por desastres e restabelecimento da normalidade no cenário de desastres. “Ficou definido que serão, no mínimo, R$ 15 milhões para atender os municípios de Coxim, Aquidauna, Ivinhema, Miranda e Novo Horizonte do Sul”, enfatizou o deputado federal Waldemir Moka (PMDB), que esteve na reunião e agendou o encontro em nome da bancada federal por ser o coordenador em Brasília. O governador André Puccinelli (PMDB) disse, após a reunião, que o Governo estadual vai gerenciar os recursos destinados a Novo Horizonte do Sul porque o projeto foi elaborado por técnicos estaduais, enfatizando que: “Os municípios de Jateí, Deodápolis, Naviraí e Vicentina serão atendidos pelo Governo do Estado por não se enquadrarem nas exigências do Ministério”, explicando, ao ser indagado, que o valor ainda será calculado. Embora tenha definido o patamar mínimo de R$ 15 milhões para Mato Grosso do Sul, os técnicos do Ministério somente vão definir nos próximos dias o valor que será destinado para cada localidade. Estiveram na reunião com Geddel Vieira Lima o secretário de Desenvolvimento do Centro-Oeste do Ministério, Carlos Henrique Menezes Sobral, o deputado federal Vander Loubet (PT), o deputado federal Geraldo Rezende (PMDB), representantes dos deputados federais Dagoberto Nogueira (PDT) e Marçal Filho (PMDB).
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Felpuda

BRIGA ENTRE TORCIDA

STJD pune Cruzeiro e Atlético-MG com perda de mando de campo e multa

ECONOMIA

Bancos anunciam mutirão para renegociação de dívidas em dezembro

Número de novo partido será 38, diz Bolsonaro
ALIANÇA PELO BRASIL

Número de novo partido será 38, diz Bolsonaro

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião