Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

REAJUSTE PARA PROFESSORES

Prefeituras do interior já temem quebra nos cofres

Prefeituras do interior já temem quebra nos cofres
18/03/2011 00:00 - danúbia burema


Enquanto professores reivindicam salários de R$ 1.445,00 para jornada de 20h semanais, prefeituras do interior do Estado temem quebra nos cofres municipais devido à necessidade de adequação ao reajuste de 15.84% na Lei do Piso Nacional do Magistério. Para a Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), as administrações municipais não têm condições de arcar sequer com o valor definido pelo Ministério da Educação, de R$ 1.187,97, menos ainda com o reivindicado pela categoria.

“Nem a prefeitura de Campo Grande tem condições de um piso de quase R$ 1.500, imagine as do interior do Estado”, afirma o presidente da Assomasul e prefeito de Chapadão do Sul, Jocelito Krug. Segundo ele, todas as prefeituras dependem dos repasses estaduais e com a quebra da arrecadação devido às perdas agrícolas decorrentes das chuvas, a situação financeira dos municípios está “complicada”. Apesar disso, Krug reconhece que as prefeituras terão que encontrar uma solução para conceder o reajuste previsto em lei.
 

Leia mais no Jornal Correio do Estado

Felpuda


Tudo indica que o MDB não conseguiu convencer o PSDB de iniciar namoro com vistas a casamento nas eleições, e a ideia teria sido descartada. Os tucanos demonstraram que o problema deles não é o cargo: os emedebistas ofereceram a vaga de vice na disputa à Prefeitura de Campo Grande, a mesma cobiçada pelos tucanos, mas na chapa do PSD do atual prefeito. A questão, politicamente falando, seria, digamos, o oferecido “noivo”. Afe!