Sábado, 23 de Junho de 2018

Prefeitura remove e transplanta palmeira octogenária

17 AGO 2010Por 22h:15
     

A Prefeitura de Campo Grande por meio da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) fez a remoção e replantio de uma Palmeira babaçu de 80 anos medindo 15 metros de altura e pesando 47 toneladas. A remoção foi necessária para liberar a avenida Ernesto Geisel, no trecho das obras do Córrego Segredo. Para fazer a remoção, a equipe da Brigada Verde utilizou dois guindastes e uma escavadeira.

Segundo o coordenador da Brigada Verde, Hilarion Chaparro, a Prefeitura já vem trabalhando na preservação e remoção das árvores mais antigas que estão às margens dos córregos Lagoa, Imbirussú e Cabaça que estão sendo urbanizados. "Nós já fizemos remoção de aroeira, angico, farinha seca e pau-óleo", informou.

O titular da Semadur, Marcos Cristaldo ressaltou a importância de preservação das espécies nativas e antigas. "A Prefeitura de Campo Grande está fazendo obras importantes de recuperação de fundo de vale e nós estamos preservando essas árvores antigas. Nosso objetivo e promover a sustentabilidade", comentou.

O prefeito Nelsinho Trad esteve no local e acompanhou todo o processo de remoção e adubação do pé de babaçu. "Eu entendo a importância destas árvores para nós e decidi fazer esta operação para preservá-la. Cuidar do meio ambiente é o papel de todos os administradores e não poderíamos tomar outra atitude, a não ser de preservar esta árvore", argumentou.

Histórico

A Palmeira babaçu ? Orrbignya speciosa - é de origem brasileira, mais específico da região amazônica e Mata Atlântica na Bahia. Sua espécie atinge até 20 metros de altura, podendo apresentar folhas com até 8 metros de comprimento, arqueadas e até seis cachos, surgindo de janeiro a abril. O babaçu é uma das mais importantes representantes das palmeiras brasileiras.

O babaçu apresenta alta importância ecológica, social e política na qualidade de produto extrativo. Sua importância social aumenta ainda mais, porque a exploração do produto ocorre no período de entressafra das principais culturas regionais, concorrendo, portanto, para a manutenção dessas famílias e contribuindo para conter o êxodo rural, além de exercer um papel fundamental na manutenção da fertilidade do solo.

        

Leia Também