Segunda, 25 de Junho de 2018

Prefeitura obriga empreiteira a refazer obra

13 JUL 2010Por 09h:42
DANIELLA ARRUDA

Retirada de parte do calçamento no canteiro central da Orla Morena, iniciada no último fim de semana, alarmou moradores da Vila Planalto, preocupados com a possibilidade de desperdício de dinheiro público na obra. O “quebra-quebra” está acontecendo numa área de aproximadamente 3 mil metros quadrados, que deverá abrigar a feira livre do bairro, realizada às quintas-feiras. Ao todo, deverão ser retirados cerca de 2,4 mil metros cúbicos de concreto com padrão de três cores (vermelho, branco e preto) e no lugar desse material será assentado novo piso de pedra portuguesa, conforme apurou o Correio do Estado em visita ao local, próximo à Rua Jequitibá.  
Segundo informação de um funcionário da empresa que estava no local, o motivo da ordem de retirada do concreto do calçamento é que o material não teria apresentado o contraste de cores que o projeto pedia; além disso, também não foram aprovadas as canaletas para escoamento de água construídas nas laterais da área. A equipe teria recebido 30 dias para fazer a substituição do calçamento de concreto, que levou três meses para ser concluído, pelo de pedra portuguesa.
A troca de material do calçamento causou estranheza entre moradores próximos ao local, que já davam a obra como pronta — alguns deles, inclusive, já estão utilizando a estrutura para caminhar. “Acho ruim (para andar), principalmente por causa do tipo do piso. Era melhor o piso ficar liso do que com aqueles pedregulhos. Já se gastou com um monte de material e agora vão ter que refazer tudo”, comentou a vendedora Kethysuany da Silva Leite, 20 anos.

Falha
Já segundo informações do secretário municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação, João Antônio De Marco, a intervenção foi necessária porque a fiscalização da prefeitura constatou problema de fissura no concreto utilizado para o calçamento naquele trecho. “Não aceitamos, e a empresa vai ter que refazer. É uma coisa normal dentro do andamento da obra. Se não está de acordo com o projeto, não pagamos até que o problema seja sanado”, disse, esclarecendo que o custo do serviço fica por conta da empreiteira.
Financiado por empréstimo do Banco Internacional de Desenvolvimento (BID), o projeto da Orla Morena está orçado em R$ 9,1 milhões, mais a contrapartida municipal. As obras começaram em março do ano passado e compreendem pavimentação asfáltica de aproximadamente 3 quilômetros de extensão, obras de drenagem e galerias de águas pluviais, recapeamento de ruas laterais, construção de ciclovia, pista de caminhada, quadras de esportes, equipamentos para práticas esportivas e teatro de arena.
A previsão inicial é de que o complexo da Orla Morena ficasse pronto para as comemorações do aniversário da cidade, em 26 de agosto, mas de acordo com o secretário João Antônio De Marco, a expectativa atual é de que as obras sejam concluídas até outubro deste ano.

Leia Também