ANASTÁCIO

Prefeitura investe <br> R$ 500 mil em escolas

Prefeitura investe <br> R$ 500 mil em escolas
20/02/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


A Prefeitura de Anastácio está investindo R$ 500 mil reais de recursos próprios em benfeitorias para as escolas e centros de educação infantil da Rede Municipal de Ensino.

No início do mês, durante o Encontro Pedagógico com os professores e diretores, o prefeito Douglas Figueiredo listou quais os investimentos que compõem esse pacote ‘pró-educação’.

Como parte desse investimento na melhoria da estrutura das escolas creches, a prefeitura já adquiriu e na última semana recebeu 25 aparelhos de ares-condicionados que estão sendo instalados nas salas de aula das escolas municipais e centros de educação infantil.

Ainda há mais ares-condicionados para serem entregues.

Segundo o prefeito Douglas, os investimentos atendem ao plano de expansão e revitalização dos equipamentos da Secretaria Municipal da Educação, previsto pela Administração Municipal para valorização da educação pública municipal.

Além dos ares-condicionados, a prefeitura adquiriu com recursos próprios vários televisores e notebooks, destinados ao uso nas escolas e CEI’s, para uso pedagógico e nas aulas.

Além disso, a prefeitura adquiriu lavadoras de alta pressão para limpeza e higienização dos ônibus e máquinas roçadeiras para manutenção da limpeza das unidades de ensino da Reme.

A Prefeitura dentro do pacote de investimentos comprou, neste mês de fevereiro, 50 berços novos, que são destinados a atender os berçários dos Centros de Educação de Infantil de Anastácio, onde a demanda tem crescido e a Administração Municipal alocou recursos para bem atender as crianças, que merecem dormir com conforto nos horários de descanso nas creches. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".