Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Paranhos

Prefeitura comprou mais de R$ 500 mil de empresa fantasma

26 FEV 11 - 11h:40EDILSON JOSÉ ALVES – PONTA PORÃ

A Prefeitura de Paranhos está sendo investigada por fazer negócios com uma empresa fantasma. Entre os anos de 2006 a 2009, a administração do prefeito Dirceu Bettoni (PSDB), segundo o Ministério Público Estadual (MPE), teria comprado mais de R$ 500 mil de uma empresa que não existe e que já figurava como ré em ação civil pública por atos de improbidade administração em razão de negociações irregulares com a Prefeitura de Sete Quedas, outro município situado na região de fronteira com o Paraguai.

O promotor de justiça de Sete Quedas, Fabrício Secafen Mingati, informou através de nota, que na sexta-feira foi deflagrada uma operação que envolveu oficiais de justiça, com o apoio do Grupo de Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), em cumprimento a mandados de busca e apreensão expedidos pelo Juízo da comarca de Sete Quedas, a pedido do Ministério Público.
O trabalho de busca e apreensão ocorreu na residência e estabelecimento comercial de um empresário de Paranhos, cidade situada na divisa com o Paraguai. De acordo com o promotor, o procedimento teve o intuito de instruir a investigação criminal que apura juntamente com as investigações preliminares, a prática de crimes contra a administração pública e de falsidade, além de supostas irregularidades envolvendo compras diretas efetivadas pela Prefeitura de Paranhos.

De acordo com o MPE, as negociações eram feitas com uma empresa fantasma, identificada pela razão social L.M. Jara Mercearia-ME, utilizada pelo empresário alvo da operação e que seria o responsável pela movimentação bancária. Nas buscas, as autoridades apreenderam no estabelecimento comercial do acusado documentos relativos às supostas negociações irregulares, uma arma de fogo calibre 9 milímetros de uso restrito das forças de segurança e três caixas de cigarros de origem paraguaia.

Na nota à imprensa, o MPE informa que os cheques que foram emitidos pela Prefeitura de Paranhos eram depositados na conta bancária de Jara Mercearia. Não foram divulgadas informações se o esquema de fraude era do conhecimento do prefeito do município, Dirceu Bettoni, reeleito em 2008 com 61,74% dos votos numa coligação com o PMDB, e nem se contava com a participação de servidores públicos municipais, que podem ter facilitado as ações do empresário no desfalque financeiro aos cofres do município fronteiriço.
 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Confira o seu astral para esta quinta-feira
ASTRAL

Confira o seu astral para esta quinta-feira

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta quinta-feira: "Otimismo de fim de ano"

ARTIGO

Beto Pereira: "Parceria público-privada: segurança jurídica e qualidade de serviços"

Advogado
OPINIÃO

Luiz Fernando Mirault Pinto: "

Físico e Administrador

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião