Terça, 23 de Janeiro de 2018

Prefeitos se unem para pressionar Assembléia a mudar rateio do ICMS

17 NOV 2008Por 20h:36
     

Lívia Ferreira

 

Prefeitos de pelo menos quarenta municípios de Mato Grosso do Sul vão se unir para pressionar os parlamentares da Assembléia Legislativa a aprovar projeto do deputado estadual Júnior Mochi (PMDB) que altera a partilha do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). O projeto, que já foi engavetado uma vez na Casa, é polêmico porque ao mudar os índices de rateio, tira arrecadação dos municípios mais ricos para destiná-las aos mais pobres. Para ter validade em 2009, o projeto precisa ser aprovado até o dia 25 de novembro. Segundo Mochi, se aprovado, o projeto vai ajudar 61 dos 78 municípios.

 

A Prefeitura de Campo Grande, por exemplo, que estima perder até R$ 300 mil mensais se o projeto for aprovado, é contrária à idéia de Mochi.
        Na tarde de ontem, o autor da matéria reuniu, no plenário da Assembléia Legislativa, 40 prefeitos eleitos ou reeleitos para detalhar quais as mudanças foram feitas após o engavetamento do projeto. Na reunião, foi criada comissão de cinco prefeitos encarregados de visitar os gabinetes dos deputados estaduais e pedir apoio para a aprovação da mudança. Integram a comissão os prefeitos Beto Pereira (PMDB), de Terenos; Marquinhos do Dedé (PMDB), de Vicentina; João Carlos Lemes (PT), de Bataguassu; Cláudio Barcelos (PR), de Tacuru; e Evandro Bazzo (PSDB), de Jardim. "Vamos visitar os parlamentares e procurar o governador, que se manteve neutro nesta questão, e tentar sensibilizá-los", disse Mochi.

Leia Também