Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Prefeito tenta última cartada para revitalizar prédio da antiga rodoviária

Prefeito tenta última cartada para revitalizar prédio da antiga rodoviária
02/08/2012 00:02 - DANIELLA ARRUDA


O prefeito Nelsinho Trad (PMDB) declarou, ontem (01), durante solenidade de lançamento do pacote de aniversário de 113 anos de Campo Grande, que um grupo empresarial de outro Estado manifestou interesse em fazer investimentos no prédio da antiga rodoviária da Capital. Esse possível parceiro, que teria procurado o poder executivo municipal na semana passada, pode ser a última tentativa da administração atual para pôr fim a um problema que já se arrasta há mais de dois anos — dar aproveitamento adequado ao espaço e em consequência melhorar todo o entorno, situado na área central da cidade.

“Entendemos que ali precisa e o local merece uma revitalização”, comentou o prefeito, sem dar maiores detalhes sobre o novo interessado no imóvel.

Uma semana atrás, o prefeito disse que nenhuma das empresas que anteriormente procuraram a Prefeitura apresentaram projetos de investimentos consistentes, admitindo que a antiga rodoviária seria um dos problemas ainda pendentes em sua gestão.

Como apenas 30% do prédio de 25 mil metros quadrados é de propriedade do município, estima-se que seriam necessários em torno de R$ 8 milhões somente para fazer a desapropriação de todo o imóvel, enquanto um projeto de reforma consumiria entre R$ 15 milhões e R$ 30 milhões.

Leia mais no jornal Correio do Estado
 

Felpuda


O desgaste de antigas lideranças nacionais, com reflexo em nível local, é a maior preocupação dos dirigentes de partidos para as eleições deste ano, que terá reflexo em 2022. Em épocas passadas, essas figurinhas cruzavam os céus do País para visitarem os municípios e pedirem que a população votasse em seus ungidos. Agora, com pendências judiciais e poder enfraquecido, dificilmente seriam convidadas. A pandemia, que resultou no isolamento social, foi a pá de cal.