Terça, 20 de Fevereiro de 2018

PARANHOS

Prefeito paraguaio é preso acusado de extermínio

19 FEV 2011Por Edivaldo Bitencourt18h:00

A Justiça do Paraguai decretou a prisão preventiva do prefeito de Ype-Jhú, Vilmar “Neneco” Acosta e do seu pai, Vidal Gonzáles Acosta. Eles são acusados pelo Ministério Público de vários homicídios, desaparecimento de pessoas e extermínio, segundo o jornal ABC Collor.
 

Afastado do cargo, o prefeito foi transferido para a Delegacia de Curuguaty. Nos últimos anos, o prefeito é acusado de travar uma guerra pelo controle do tráfico de drogas na fronteira de Paranhos com o Paraguai. Dois irmãos de Neneco foram assassinados em outubro do ano passado.

No dia 5 deste mês, a secretária do prefeito, Adolfa Dávalos, 25 anos, morreu com um tiro nos fundos da residência do Neneco. A polícia paraguaia investiga a possibilidade de suicídio ou homicídio.

Em entrevista ao jornal ABC, Neneco acusou o antecessor, Nuñez de tramar para afastá-lo do cargo e reassumir o cargo de intendente de Ipejhú. Ele afirmou que descobriu um rombo de 3 milhões de guaranis na conta da prefeitura local.

 O pedido de prisão foi feito pela promotora Ninfa Aguilar.

Leia Também