Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

AGENTES DE SAÚDE

Prefeito diz que perdeu a confiança e ameaça cortar o ponto

4 JAN 2011Por vivianne nunes16h:02

“Perdi a confiança nas lideranças”. Desta maneira o prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB) julga a atitude dos agentes de saúde da Capital que deram início hoje a um movimento de paralisação das atividades por melhorias nas condições de salário, três meses antes da data base de negociações (veja matéria ao lado). Em entrevista ao Portal Correio do Estado o prefeito enfatizou: - “Não é a primeira vez que eles fazem isso”, reclamou o prefeito explicando que no dia 30 de dezembro houve um encontro da categoria em que ele se comprometeu em dar continuidade às negociações. “Me surpreendi com a atitude e nossa sorte é que, segundo cálculos do CCZ [Centro de Controle de Zoonoses] a paralisação atingiu menos da metade dos funcionários, ou seja, 40%".

O prefeito diz que já pediu aos funcionários que ficaram para que "façam as vezes" dos que faltaram. “Aqueles que não trabalharem terão o ponto cortado e a ficha funcional descrita junto ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT). A conversa daí por diante passa a ser com a Justiça”, afirmou. Os agentes de saúde pública e de controle de epidemiologia, responsáveis pelo combate aos mosquitos transmissores da dengue e leishmaniose resolveram paralsar as atividades hoje reivindicando o cumprimento de leis que especificam atribuições da categoria.

Em nota encaminhada à imprensa pela assessoria de comunicação da prefeitura Nelsinho diz que não reconhece a greve deflagrada hoje e condena o movimento como prematuro e feito de forma irresponsável e leviana.

"Considero um crime o que estão fazendo, justamente neste momento em que a população mais necessita dos serviços prestados por estes servidores”, afirmou  Trad Filho a respeito da paralisação e referindo-se ao trabalho de prevenção à leishmaniose e à dengue, executado pelos agentes.

Leia Também