Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

PÓS-ESCÂNDALO

Prefeito admite que PDT poderá não ter candidato

29 MAI 2011Por PORTAL RAC, CAMPINAS12h:01

O prefeito Hélio de Oliveira Santos — que também é presidente do diretório municipal do PDT — admitiu, pela primeira vez, que seu partido poderá não ter candidato próprio ao Palácio dos Jequitibás em 2012. “Neste momento, o PDT tem que estar muito mais como participante (do processo eleitoral) do que como protagonista”, disse Hélio à reportagem, por meio de sua assessoria de imprensa.

“O candidato vai sair do debate da aliança dos partidos (de sua coligação). Não tem nada definido ainda”, afirmou. Além do PDT, a coligação do prefeito inclui PT, PMDB, DEM, PPS, PCdoB e PTB, entre outros. Hélio também voltou a afirmar que a atual crise é, na verdade, uma tentativa de antecipar as eleições.

Já os virtuais candidatos a prefeito dos partidos de oposição ao governo foram cautelosos ao comentar a atual crise e seus desdobramentos. De um modo geral, afirmam que é necessário esperar as conclusões das investigações do Caso Sanasa e da Câmara Municipal para avaliar a situação política. Jonas Donizette (PSB) não se considera beneficiário do desgaste da atual Administração.

“Acho que essas coisas não favorecem ninguém. Elas prejudicam a cidade como um todo”, disse o deputado federal. “Vai ser um cenário diferente, sem dúvida. Mas estou muito sereno e vou continuar conversando com os partidos”, afirmou.

O presidente do PSOL e ex-vereador Paulo Bufalo avalia que a participação popular no debate sobre a crise será determinante para os resultados políticos. “Com esses episódios, a população tende a ficar ainda mais cética em relação à política”, disse Bufalo.


O deputado federal Carlos Sampaio (PSDB) também evitou avaliar positivamente — para o seu partido e uma provável candidatura — o atual momento político em Campinas. “A gravidade dos fatos não comporta qualquer análise eleitoral”, disse.

Apesar disso, o tucano assumiu um tom mais crítico em relação ao prefeito, de quem havia se aproximado logo após as eleições de 2008, quando ficou em segundo lugar na disputa à Prefeitura. “Ele (Hélio) deve esclarecimentos à cidade. É um absurdo ele se esconder atrás de chavões”, afirmou. Apesar de ser um ferrenho crítico de Hélio, o vereador Artur Orsi (PSDB) também procurou não comemorar. “Temos que esperar para ver.”

O presidente do PT de Campinas, Ari Fernandes, disse que o partido poderá superar o desgaste provocado pela prisão de Demétrio Vilagra (PT). “É possível superar. Mas ainda teremos que discutir os caminhos para isso”, avaliou.

Leia Também