Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 19 de novembro de 2018

Prédio da Enersul aproveita toda a água da chuva

21 MAR 2008Por 14h:50
     

        Da redação

        Um projeto pioneiro, em Jardim,  acaba de ser inaugurado pela Enersul. É a construção de um escritório  que capta toda a água da chuva como alternativa ecologicamente correta para a lavagem de pisos, rega dos jardins e descarga de vasos sanitários. Isso, a partir de agora, dispensa a utilização de água potável que era fornecida pelo sistema tratamento e abastecimento daquele município. Segundo o engenheiro civil, responsável pela obra, César Pessatto da Silva, a economia mensal é de mais de 13 mil litros. ?A água de chuva é captada através do telhado e em seguida enviada para uma cisterna?, explica.

        Esse volume economizado já traz ganho ambiental para o município. A água tratada que antes era consumida na simples tarefa de limpeza, hoje se tornou numa reserva valiosa capaz de abastecer com qualidade, 12 residências por ano. Como no bairro onde o prédio foi construído não tem rede de esgoto, o projeto foi equipado com um sistema biodigestor. Esse aparelho funciona como uma mini-estação de tratamento, para impedir que as descargas de sanitários causem poluição no solo e consequentemente, contaminem o lençol freático. ?Fiz um curso em São Paulo sobre ecoprodutos e este era um dos temas abordados com maior nível de preocupação, em se tratando de futuro ambiental?, conta o engenheiro.

        ?As telhas para a cobertura do prédio também foram escolhidas obedecento critérios de sustentabilidade. O material utilizado no projeto de Jardim é de fibra mineral, sendo produzido com materiais ecologicamente sustentáveis?, esclarece César Pessatto. Para complementar esse conceito de compromisso com o futuro, as janelas do prédio foram projetadas para o melhor aproveitamento da luz solar e proporcionar economia de energia.

         

         

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também