segunda, 16 de julho de 2018

Cinema

Precursor da Nouvelle Vague completa 80 anos

3 DEZ 2010Por THIAGO ANDRADE15h:13

 

Jean-Luc Godard é um cineasta para poucos. O diretor francês comemora hoje 80 anos, dia em que estreia "Film socialisme" em diversas cidades do país (Campo Grande não é uma delas), considerado desde o melhor de seus filmes em muito tempo a mais uma peça incompreensível e sem graça. Não importa. Godard é um revolucionário! Talvez o último. Representante maior da Nouvelle Vague, a história do cinema francês e mundial não podem ser contadas sem que se cite o nome do diretor. 

Depois de realizar clássicos como "Acossado", "Viver a vida" e "Uma mulher é uma mulher", Godard decidiu trazer para o cinema suas visões políticas que misturavam maoísmo, estética e experimentações. "A chinesa" é um dos exemplos maiores desse período. Logo em seguida, o cineasta desiste do cinema tradicional para experimentar em vídeo, afirmando até mesmo a falência das películas. Os temas políticos e as críticas a decadência cultural européia, assim como a falência das ideologias de esquerda, tornam-se assuntos cada vez mais presentes em suas obras.

Sem lançar um longa-metragem desde "Nossa música", de 2004, Godard não abre mão do experimentalismo neste "Film socialisme". O cineasta não faz questão de ser entendido também. Uma das versões que estreia no Brasil, hoje, segue as diretrizes do diretor, com legendas que não aparecem em certos momentos. Ou seja, se você não fala francês, não vai entender alguns diálogos do filme. De qualquer modo, a estreia do filme em seu aniversário é uma ótima forma de comemorar estas oito décadas. Vida longa a Godard!

Leia Também