Terça, 16 de Janeiro de 2018

Preços altos podem atrapalhar política de estoque de grãos

9 AGO 2008Por 17h:00
     

 

Os altos preços dos alimentos podem prejudicar a proposta do governo de alcançar os 6 milhões de toneladas de grãos nos estoques públicos em 2009. Isso porque a aquisição de produtos agrícolas em momento de preços elevados pode provocar um aumento ainda maior. A avaliação é do diretor de Gestão de Estoques da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Rogério Colombini.

Não podemos sair estimulando a alta dos preços dos alimentos em nível de atacado, porque isso se reflete na conta do consumidor. Então, temos que ter uma estratégia capaz de adquirir e dar sustentação aos produtos diretamente do agricultor, e não interferir de uma forma excessiva, com risco de afetar o consumidor final, afirmou Colombini.

O diretor explica que o objetivo do governo, ao formar estoques, é proteger o produtor para que ele tenha um incentivo maior para aumentar a sua produção agrícola, mas também, e principalmente, defender os consumidores contra altas excessivas dos produtos agrícolas.

Hoje, os estoques públicos contam com menos de 1,5 milhão de toneladas de grãos, compostos em mais de 80% por arroz. Para o próximo ano, a proposta é ter 4,1 milhões de toneladas de milho, 1,6 milhão de arroz, 200 mil de trigo e 100 mil de feijão.

Leia Também