Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

Preço e quantidade de gás vão ser negociados

6 OUT 2010Por CARLOS HENRIQUE BRAGA02h:00



O Governo de Mato Grosso do Sul vai negociar com a Petrobras o preço e o aumento na quantidade de gás natural em reunião ainda a ser agendada. A nova fábrica de fertilizantes usará 2 milhões de m³ por dia, dez vezes mais do que a distribuidora MS Gás oferece diariamente (cerca de 200 mil m³). “É muito gás, nunca tivemos uma demanda tão grande como temos hoje”, diz o diretor da distribuidora, Mathias Gonsales. Ele não confirma a instalação em Corumbá, mas garante que há acordo firmado entre os países.
O preço do insumo, o dobro do praticado na Europa, pode afugentar os russos. A Fibria Celulose, principal compradora do Estado, paga R$ 0,72 por m³. Um possível desconto dependerá da boa vontade da Petrobras, que compra 30 milhões de m³ por dia da Bolívia. É ela quem bota preço e negocia o fornecimento.
Para segurar o investimento, um dos argumentos do diretor é de que o alto valor da matéria-prima será compensado pelo lucro maior com fertilizantes, mais caros par o consumidor brasileiro do que para o europeu. “Os padrões brasileiros de preços são muito diferentes”, justifica.
Além dos russos, é preciso aumentar a oferta para atender mais 2,22 milhões de m³ gerados nos próximos anos pela indústria de celulose e pela unidade de fertilizantes da Petrobras, de Três Lagoas.

Leia Também