Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

CAMPO GRANDE

Preço dos combustíveis cai nos postos mas variação ainda é alta

23 MAI 2011Por DA REDAÇÃO13h:42

Pesquisa realizada pelo Procon em 33 postos de combustíveis da Capital aponta variação de 10,65% no preço da gasolina comum. O levantamento realizado no fim de semana mostra que em média os campo-grandenses devem pagar R$ 2,75 pela gasolina. Conforme o estudo da Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor em maio este tipo de combustível registrou queda de valor de 7,64%, enquanto que nas últimas pesquisas era observado aumento de 10%.

Atualmente, segundo a pesquisa do Procon, é possível encontrar a gasolina comum pelo preço mais baixo de R$ 2,62 até R$ 2,89. Em levantamento realizado no dia 26 de abril o valor médio da gasolina comum era de R$ 2,96, quando podia ser encontrada por até R$ 3,136 em Campo Grande.

A gasolina aditivada seguiu a tendência observada no preço da gasolina comum e também apresentou redução em relação a abril, de (-) 7,17% e variação entre os postos de 9,07%. O diesel tem preços que estão entre R$ 2,060 e R$ 2,199.

Quem abastece o veículo com etanol percebeu uma redução acentuada do valor do combustível nos postos. Após ter o preço acrescido em 20%, verificado nas últimas pesquisas do Procon, desta vez observou-se queda de 14,15% no preço. Enquanto em abril valia em média R$ 2,34, o etanol chegou a maio com valor médio de R$ 1,976. Na Capital pode ser encontrado por R$ 1,83 até R$ 2,27, por isso é considerada grande variação de 24,04%.

Segundo o superintendente do Procon, Lamartine Ribeiro, falta muito pouco para voltar a valer a pena abastecer com etanol no caso dos carros Flex. “O preço do etanol, que não pode ultrapassar 70% do preço da gasolina comum para ser compensador, está hoje em 71,6%. Portanto, se a tendência de queda continuar, em breve será melhor voltar a abastecer com etanol. Importante lembrar que os postos devem informar essa porcentagem em locais visíveis aos consumidores, que deve ficar atento para economizar sempre”, informou.

No botão a seguir está disponível o download da pesquisa completa do Procon:

Confira a pesquisa




 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também