Sexta, 15 de Dezembro de 2017

Preço do álcool subiu 5,7% em 20 dias

5 FEV 2010Por VERA HALFEN01h:37
Em 20 dias, o preço do álcool hidratado combustível subiu 5,7% nas bombas, para o consumidor, passando do preço médio de R$ 1,94 para R$ 2,05, entre os dias 15 de janeiro e 4 de fevereiro. Pesquisa feita ontem pela reportagem do Correio do Estado aponta que o menor valor encontrado nos 42 postos pesquisados na região central e bairros foi de R$ 1,94 e o maior, R$ 2,249. A variação chega a 15,9% ou R$ 0,309 em cada litro do combustível. Essa diferença pode garantir economia de R$ 15,45 ao consumidor que optar por abastecer o tanque de 50 litros com o menor preço. Desde meados de junho de 2009, o custo do álcool disparou nas usinas por conta das chuvas intensas nos canaviais, reduzindo a oferta desse combustível. De acordo com dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/SP), em junho, a cotação média do litro de álcool nas usinas era de R$ 0,6066 (sem impostos). No mesmo período, as distribuidoras vendiam o álcool aos postos a R$ 1,296 e estes aos consumidores a R$ 1,59, segundo dados divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Em janeiro, a média do álcool passou para R$ 1,18, registrando aumento de 96% no período de junho a janeiro. Já a ANP aponta que as distribuidoras venderam o produto aos postos com preço médio de R$ 1,798, ou seja, reajuste de 38,7%. Os estabelecimentos repassaram, no mesmo período, acréscimo de 27,1%, com valor médio de R$ 2,021 para o consumidor, no mês de janeiro. Sem perspectivas De acordo com o diretor de Comunicação do Sinpetro, Antônio Carlos Paludo, por enquanto, o setor não vê perspectivas de queda no custo do álcool nos próximos meses. “Não sabemos para onde vai. A demanda é grande e a oferta está pequena”, diz. “Vamos ter de aguardar a próxima safra, que começa em março/abril, só aí teremos algum sinal de redução de preços”, avalia. Paludo frisa que a disparada dos valores do álcool já derrubou em cerca de 30% as vendas de combustível nos postos de Campo Grande. A comercialização de gasolina, por sua vez, aumentou entre 5% e 7%. Segundo o diretor, quando as aulas recomeçarem, as vendas devem se normalizar e aí os índices serão mais reais. Gasolina e diesel A pesquisa feita ontem pela equipe do Correio do Estado, também levantou os preços da gasolina e do óleo diesel. O valor médio da gasolina é o mesmo verificado na última pesquisa: R$ 2,60. O menor preço encontrado foi de R$ 2,47 e o maior, R$ 2,749. O preço médio do diesel é de R$ 2,14, com o menor preço de R$ 2,09 e o maior, R$ 2,199.

Leia Também