segunda, 23 de julho de 2018

AGRONEGÓCIO

Preço do açúcar sobe 47% e indústria aumenta produção

10 NOV 2010Por Carlos Henrique Braga00h:00

A valorização do açúcar no mercado internacional elevou o preço pago à indústria em 47% em Campo Grande, de R$ 36,63, em julho, para R$ 53,88, ontem. O produto está escasso em países de consumo gigante que tiveram quebras na produção, como Índia e China, e vão precisar importar mais. O Brasil vai suprir parte dessa demanda e Mato grosso do Sul já acelerou a produção em 76% e exportação em 80,9%. O Estado sempre apostou no etanol, direcionando 23% da cana ao açúcar, mas o percentual deve alcançar pelo menos 35% nas próximas safras, estima o presidente da Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), Roberto Hollanda Filho.

A fabricação de açúcar no Estado pulou de 567,5 mil toneladas para 1,001 milhão de toneladas, na comparação entre os meses de outubro das safras 2009/10 e 2010/11, segundo o Departamento da Cana de Açúcar e Agroenergia do Ministério da Agricultura. As vendas externas seguiram no mesmo pique e somam US$ 176,8 milhões (R$ 300 milhões) entre janeiro e setembro deste ano, 80,9% maior do que o resultado do mesmo período do ano passado (US$ 97,7 milhões), segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Neste ano, três novas usinas entraram no rol de produtores da mercadoria valorizada. Hoje, das 21 instaladas, 12 produzem a commodity. O número deve crescer para aplacar a fome do mercado externo. A tendência, segundo Hollanda, é que as exportações assumam papel principal para as usinas.

A demanda internacional cresce em outubro e novembro, quando o mundo vive o pico da produção de alimentos que têm o açúcar como matéria-prima. Para turbinar os preços, o mau tempo no sul da China prejudicou plantações e deve resultar em compras superiores a 2 milhões de toneladas neste ano. Nesse cenário de escassez, a commodity (mercadoria primária negociada em bolsa de valores) atingiu preço recorde em São Paulo (R$ 74,60) no início de novembro, de acordo com indicador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Universidade de São Paulo. Em relação ao ano passado, que estava em R$ 57,28, houve aumento de 30,16%.

Leia Também