segunda, 16 de julho de 2018

FIM DE ANO

Preço de eletrônicos cai até 38% e vendas devem crescer 40%

12 DEZ 2010Por Carlos Henrique Braga00h:00

A cada Natal, uma lista sem fim de novas tecnologias inunda o mercado e derruba os preços dos lançamentos do ano anterior. Televisores de tela plana, aparelhos de som e de DVD, e computadores estão até 38,82% mais baratos, em Campo Grande, segundo o Núcleo de Pesquisas Econômicas da UniversidadeAnhanguera-Uniderp. Só no mês passado, preços de televisores recuaram 6,39%. Nas lojas, gerentes esperam vender até 40% a mais.

Parece intencional – e é. A indústria planeja a chegada das novidades nesta época porque sabe que o consumidor está disposto a pagar, mesmo que em 24 vezes. Neste ano, como presente extra, o dólar baixo barateou componentes de eletroeletrônicos e os importados aumentaram a presença.

O gerente do Magazine Luiza, Fábio Souza, que não faz esforço para vender no Natal, acredita em crescimento de 40% nas vendas. A segunda maior rede de varejo eletroeletrônico do País estendeu o pagamento para 24 meses, com juros de 2,49% ao mês. A Romera, que inaugurou há menos de 20 dias, vendeu o dobro do planejado, segundo o chefe, Isac Bispo. Celulares e computadores também estão entre os favoritos, mas são as telonas que tomam as paredes das lojas. Se tiver um sofá em frente, também à venda, possivelmente alguém estará sentado namorando uma tela grande.

"As pessoas estão mais familiarizadas com as TVs de LCD, que é a mania deste Natal, mas ainda não entendem muito bem a de LED", conta a gerente do Ponto Certo, Patricia Oliveira. O gerente da Romera lembra que modelos que custavam R$ 3 mil, no ano passado, custam R$ 1,3 mil. O valor do modelo de Plasma da Panasonic caiu 38,82%, de R$ 3.594 para R$ 2.199. Até os de tubo, que pareciam fora do jogo, continuam na vitrine, mas a preços de pechincha – de R$ 900 por R$ 599.

No Magazine Luiza, no centro da Capital, o modelo LCD, de 40 polegadas, sai por R$ 2.490, ou em 10 vezes de R$ 249, sem juros. Um bom prazo para o militar Dênis Pereira, 21 anos, que se casa em breve. "A gente espera que o casamento saia antes da TV", brinca.

Se a cerimônia demorar 24 meses para acontecer, é melhor que ele não compre a TV nesse prazo. Se fizer isso, vai pagar R$ 1,3 mil só de juro, dinheiro suficiente para levar sete aparelhos de DVD para casa (R$ 180, cada um). Em dois anos de prazo, o televisor custará R$ 3.336, sob taxa de 2,49% ao mês.

Queda livre também entre aparelhos de som, que passaram de R$ 1.299 para R$ 1.044 (-21,56%); de DVD, 21,52% mais em conta (de R$ 232 para R$ 182); e computadores de 3 giga, que estão 9% mais baratos, de R$ 2.199 para R$ 1.999.

Leia Também