Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

FIM DE ANO

Preço das passagens sobe 40% e variação pode chegar a 189%

27 DEZ 2010Por ADRIANA MOLINA05h:35

As passagens aéreas já ficaram cerca de 40% mais caras neste final de ano, por conta das festividades e férias – período considerado alta temporada para a aviação. Os dois principais destinos dos campo-grandenses, segundo agências de turismo, São Paulo e Bahia, já apresentam variação de até 189% no período, em relação a três meses atrás.

É o caso do trecho Campo Grande/Bahia – um dos mais procurados nas férias para descanso e passeio, que neste ano já pôde ser comprado por R$ 750, e que, atualmente, não sai por menos de R$ 1.558 (diferença de 107,7%). O valor ainda pode ficar mais salgado, chegando a R$ 2.168 (189%), dependendo da data e hora do embarque do passageiro.

Já a saída de Campo Grande com destino a São Paulo, mais comum para os que querem fazer compras, e que há cerca de três meses podia ser feita com R$ 480, atualmente custa no mínimo R$ 608 (+26,6%) e até R$ 880 (83% mais caro). Esses preços são os encontrados nos sites das empresas aéreas, pois, nos postos físicos de vendas em aeroportos e lojas, as variações são ainda maiores.

“Pela internet as passagens são cerca de 10% mais baratas que no balcão das empresas aéreas”, explica o diretor da Time Tour Turismo, Juliano Berton, já dando uma dica para quem quiser economizar neste período de altos preços. Segundo ele, as companhias justificam a diferença de valores pelo custo de manter funcionários no balcão de atendimento, e pela estrutura que isso envolve.

Pacotes
Se ainda assim, com 10% de desconto, for pesado para o bolso do consumidor viajar em dezembro, janeiro ou fevereiro, Berton dá outras opções: esperar até março, quando acaba a alta temporada ou então optar por pacotes turísticos, que já incluem passagem, hotel e, em alguns casos, passeios e refeições.

Para Salvador, por exemplo, uma semana com hotel e café da manhã sai por cerca de R$ 1,6 mil – apenas R$ 42 mais caro que apenas a passagem mais barata encontrada para o local no período, de R$ 1.558, e 26,2% mais barato que a mais cara, de R$ 2.168.

“É muito mais vantajoso porque as agências fecham contratos com hotéis e fretam aviões. Isso reduz expressivamente os preços que chegam ao consumidor”, explica o diretor. Além disso, os pacotes podem ser pagos em até 10 vezes sem juros.

Leia Também