Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 11 de dezembro de 2018

PR de MS decide hoje se apoia Dilma ou Serra

14 ABR 2010Por 23h:38
adilson trindade

O Partido da República (PR), em Mato Grosso do Sul comandado pelo deputado estadual Londres Machado, pode apoiar candidato diferente do governador André Puccinelli (PMDB) na sucessão presidencial. Hoje, os republicanos devem se reunir para definir a posição do partido. Os republicanos estão divididos em apoiar a pré-candidatura de Dilma Rousseff (PT) ou José Serra (PSDB) à sucessão presidencial. Mesmo que fechar com Dilma, o PR não ficará com o ex-governador José Orcírio dos Santos (PT) na sucessão estadual. Os republicanos já se aliaram com o PMDB para defender a reeleição do governador André Puccinelli (PMDB).

A diferença poderá estar apenas no palanque presidencial. Os republicanos poderão apoiar o mesmo candidato do PT, enquanto o governador deverá estar no palanque do pré-candidato do PSDB, José Serra, na disputa presidencial. O governador deve anunciar oficialmente a sua posição depois do dia 15 deste mês.

Líderes petistas, no entanto, aproveitaram a decisão do PR de se aliar a Dilma na sucessão presidencial, para retirá-lo do arco de aliança do PMDB em Mato Grosso do Sul. As negociações foram intensas, em Brasília, com o ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento, presidente nacional do PR, para reverter a posição do partido no Estado.

A pressão não surtiu efeito, porque Nascimento já tinha assumido o compromisso com André. O PR, portanto, vai continuar aliado com o PMDB no Estado. O presidente regional da agremiação, deputado Londres Machado, reagiu às intenções do ex-governador afirmando que a decisão da executiva estadual não tem volta, ou seja, o apoio à reeleição do governador André Puccinelli está sacramentado.

Na realidade, o PR foi o primeiro partido a manifestar com quem estaria na sucessão estadual e com muita antecedência. No ano passado, depois de entendimentos com André Puccinelli, o partido abriu espaço e filiou o então secretário de Obras Públicas e Transportes Edson Giroto. Ele sai candidato a deputado federal com apoio explícito de André.

“É um compromisso político que temos com o governador. A decisão da executiva estadual permanece e não vai haver mudanças”, afirmou Londres. Segundo ele, a direção nacional deu autonomia – e não vai interferir – para o diretório regional definir as coligações. “Portanto, está acertado politicamente o apoio do PR à reeleição do André (Puccinelli)”, frisou o deputado.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também