Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

quarta, 20 de fevereiro de 2019 - 20h32min

poder

PPS quer agilidade em apuração de denúncias sobre mensalão

4 ABR 11 - 05h:58AGÊNCIA BRASIL

O presidente do PPS, deputado Roberto Freire, afirmou neste domingo que o relatório final da Polícia Federal (PF) sobre o caso do mensalão, que teve trechos divulgados pela revista Época neste fim de semana, revela "novas e graves" denúncias sobre o esquema de pagamento de propina a parlamentares da base aliada, durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Freire afirmou à Agência Brasil que o PPS estuda apresentar representação no Ministério Público para abertura de ação penal contra os supostos novos beneficiários do esquema, entre eles, o ex-presidente Lula.

Segundo a revista Época, novas investigações feitas pela PF revelam, entre outros pontos, que o esquema do mensalão realmente existiu e ainda usou dinheiro público para financiamento de campanhas e compra de apoio no Congresso Nacional.

"Vamos aguardar que o procurador-geral da República se pronuncie. Se isso demorar muito e não houver ação da parte da procuradoria, vamos insistir que o Ministério Público analise essa denúncia, porque ela é muito grave: diz, textualmente, que Lula e a sua campanha se beneficiaram de recursos públicos do mensalão", disse Freire. "A sociedade brasileira está exigindo certa rapidez da Justiça. Isso tem que ter uma prioridade", acrescentou o presidente do PPS.

Já o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que o trecho do relatório publicado pela Época não traz fato novo em relação ao mensalão e descartou o envolvimento do ex-presidente Lula no esquema. "Não tem nenhuma novidade. São assuntos antigos já divulgados. As pessoas que foram indiciadas nesse processo estão sendo julgadas pelo Supremo Tribunal Federal e estão aguardando com tranquilidade a decisão", disse o parlamentar à Agência Brasil.

"Do ponto de vista do governo, não houve dinheiro público, não houve formação de quadrilha. O que há é um crime que é o caixa dois de campanha, que o Supremo vai julgar. Não existe nenhum comprometimento do ex-presidente Lula. Não existe o nome do ex-presidente ali. Todos aqueles fatos já passaram pela CPI dos Correios", acrescentou o petista.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Pescadores propõem redução gradativa da cota até metade da atual
AUDIÊNCIA PÚBLICA

Pescadores propõem redução gradativa da cota para pesca

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO

Moody's diz que reforma é abrangente e, se aprovada, dará suporte a nota de crédito do país

O Brasil não tem selo de bom pagador pela Moody's.
MS deve receber 34 novos profissinais pelo Mais Médicos em marco
MAIS MÉDICOS

MS deve receber 34 novos médicos em março

Empregadores devem entregar declaração até 5 de abril
RAIS 2018

Empregadores devem entregar declaração até 5 de abril

Mais Lidas