Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

Potencial é para ter 39 pequenas hidrelétricas

29 OUT 2010Por VERA HALFEN04h:40

Mato Grosso do Sul conta hoje com nove Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), em operação, e outras quatro já com autorização da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) para serem implantadas. Além desses novos empreendimentos, mais uma unidade deve se instalar no Estado, com investimentos de R$ 30 milhões e geração de 7 MW/h (megawatts). No entanto, Mato Grosso do Sul tem potencial para o triplo de pequenas hidrelétricas, ou seja, o número pode chegar a 39 unidades.

De acordo com o presidente da Fiems, Sérgio Longen, "as PCHs são uma oportunidade de investimento pronto, responsáveis pela geração de energia limpa e junto com a energia da biomassa, são fontes de riqueza e pode tornar o Estado exportador dessa energia". Acompanhado pelo prefeito de Chapadão do Sul, Jocelito Klug, e do deputado estadual Paulo Corrêa, Longen conheceu de perto a PCH Planalto, do Grupo Brennand Energia, com capacidade de gerar 17 MW/h.

A Planalto foi construída na margem esquerda do Rio Aporé, na divisa dos municípios de Aporé (GO) e Cassilândia (MS) e a 40 quilômetros de Chapadão do Sul. A hidrelétrica entrou em operação em março de 2009.

Hoje, as nove PCHs em operação em Mato Grosso do Sul são: Alto Sucuriu e Porto das Pedras (Chapadão do Sul); Aquarius (Sonora); Assis Chatêaubriant (Ribas do Rio Pardo); Buriti (Água Clara); Costa Rica (Costa Rica); Paraíso (Paraíso das Águas); Planalto (Cassilândia) e Ponte Alta (São Gabriel do Oeste). As quatro PCHs com autorização para implantação são a Verde 4 e Verde 4A, em Ribas do Rio Pardo, e Indaiá Grande e Indaiazinho Grande, em Cassilândia.

Leia Também