Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SEU BOLSO

Postos iniciam alta do etanol e valor pode chegar a R$ 2,30 na Capital

Postos iniciam alta do etanol e valor pode chegar a R$ 2,30 na Capital
25/02/2014 10:30 - gabriela pavão


O etanol está prestes a perder o título de combustível vantajoso em relação à gasolina porque deve ficar até R$ 0,10 mais caro nos postos de Campo Grande. O reajuste já está sendo percebido em vários postos, segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes de Mato Grosso do Sul (Sinpetro/MS). Com o aumento o preço do litro pode chegar a R$ 2,30.

Segundo o levantamento feito pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), até o último sábado o preço médio do litro do etanol era de R$ 2,127 em Campo Grande, mas o consumidor encontrava o produto a R$ 2,043 e R$ 2,199 nos postos da cidade.

O sindicato da categoria afirma que a majoração do preço ao consumidor é consequência do repasse dos valores que foram elevados nas distribuidoras de combustíveis desde a semana passada.

Campo
O reajuste inicial do combustível tem origem nos canaviais, mais precisamente nas usinas de cana-de-açúcar, onde o aumento de 10% elevou o preço médio para R$ 1,38. A alta foi puxada pelo período da entressafra, segundo o presidente da Associação dos Produtores de Bionergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), Roberto Hollanda. “Realmente houve um aumento nas usinas, o que é absolutamente normal porque estamos em entresafra. Então é natural em qualquer commodity agrícola que haja alteração nesse período”, explica.

Hollanda ressalta que, apesar do reajuste, o etanol manteve um preço competitivo durante toda a safra. “Tanto é verdade que o consumo do etanol aumentou 42% em 2013, porque estávamos um pouco mais competitivo do que a gasolina, por conta da flutuação de preço”, avalia.

No limite
Considerando o valor médio de R$ 2,127 o etanol ficará no limite da competitividade em relação à gasolina, que custa em média R$ 3,054 em Campo Grande. O percentual comparativo é de 69,64% e ainda está abaixo dos 70%, considerado linha divisória para apontar a vantagem entre ambos os combustíveis. 

Felpuda


É grande a expectativa em torno de qual foi a justificativa de conhecida figura que beneficiou sujeito, e este, aproveitando a, digamos, boa vontade demonstrada, simplesmente “sumiu do mapa”. Órgão nacional pediu explicações para o “benfeitor”, e o prazo já venceu. Como as decisões por lá não ficam escondidas do distinto público, logo, logo, a curiosidade deverá ser contemplada. É esperar para conferir!