Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

Coral

Possibilidades musicais

17 NOV 2010Por OSCAR ROCHA00h:00

Dois eventos especiais, que acontecerão na Capital,  possibilitarão encontros musicais unindo períodos e estilos diferentes. Cada uma traz a marca da colaboração como principal ingrediente. O primeiro, a partir de sexta-feira, é o encontro dos coros da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Universidade Federal da Grande Dourados e da Universidade Federal do Estado de Santa Catarina.

A iniciativa terá duas frentes: o aprimoramento técnico dos integrantes das formações e apresentações em espaços diferentes da Capital. “Mostraremos repertório variado”, explica o regente da UFMS, Manoel Rasslan, um dos organizadores do evento. O coral da Universidade Federal do Estado de Santa Catarina, que virá com 30 integrantes, destacará temas populares e folclóricos. Por sua vez, o da  Universidade da Grande Dourados mostrará composições populares e folclóricas. “O nosso coral trabalhará com temas sacros, assim como o espiritual e outros segmentos contemporâneos”, explica Rasslan.

No caso da formação local, o coral será de câmara, contando com 24 cantores. “O Coral da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul tem 60 componentes, sendo que o de câmara foi formado após uma seleção entre os integrantes. Atualmente, como o espaço de ensaios está em reforma, o coro completo se reúne para estudar, não realizando apresentações”, destaca o regente.

O encontro é uma atividade que envolve, no âmbito da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), o Programa de Extensão Movimento Coral da UFMS, que tem orientado ações relacionadas ao canto coral, articulando as atividades de extensão na área com os segmentos do ensino e pesquisa, fortalecendo a educação musical e o contato com a comunidade.

O Coral de Santa Catarina foi reativado no primeiro semestre de 2006 pelo professor doutor Sérgio Figueiredo e, desde então, vem representando a universidade e divulgando a prática da música vocal em conjunto. O Coral da UFGD teve início em agosto deste ano e é formado por professores, alunos e funcionários da instituição, bem como por pessoas que não estudam na universidade. O Coro de Câmara da UFMS tem suas atividades pautadas pela interpretação de repertório musical com obras de épocas e estilos variados. As performances acontecerão em três locais: no dia 20, às 19h, no Teatro  Prosa (Sesc Horto); no dia seguinte, às 10h, no Espaço Chico Xavier (Livraria Arte e Técnica) e, às 20h, na Igreja Presbiteriana do Brasil.

“No teatro, utilizaremos  luz e cenário. No Espaço Chico Xavier, haverá maior aproximação com o público – o local tem grande frequência em suas atividades.  A Igreja Presbiteriana é um lugar que tem aberto espaço para concertos, por isso é importante cantar ali”, aponta Rasslan. As apresentações terão entrada franca.

Música e fotografia no mesmo espaço
Na próxima segunda-feira, o Sesc Horto inicia mais uma etapa do Projeto Novos Diálogos, que desta vez destaca a música. Anteriormente, foi a literatura o enfoque, contando com a presença do escritor Santiago Nazarian. “Agora, mostraremos um painel da música sul-mato-grossense por meio do trabalho de três projetos musicais diferentes, estimulando novas possiblidades no encontro que propomos”, explica o gerente de Cultura do Sesc Mato Grosso do Sul, Francisco Araújo.

No primeiro dia, inicia uma exposição que apresenta registros fotográficos dos participantes – Orquestra Sinfônica Municipal de Campo Grande, o grupo Muchileiros e Masis.
No dia 28 de novembro, os três se encontram no palco com uma apresentação especial unindo erudito, latino, rock e música popular brasileira. A intenção é cada uma das atrações se apresentar em performances solo e também em conjunto. “Será um momento único, feito a partir da linha do projeto”, diz Francisco.

Ainda faz parte da programação, no dia 24 de novembro, às 20h, no Teatro Prosa, a palestra  “Ecologia acústica”, ministrada pelo professores da UFMS André Luiz G. Oliveira e Luiz Felipe Oliveira,  abordando conceitos de ecologia acústica e paisagem sonora. A proposta é promover conscientização sobre as implicações das transformações sonoras em um ambiente. Com exemplos auditivos de diversas localidades, a palestra fará uma correlação entre Campo Grande e o Pantanal sul-mato-grossense do ponto de vista de suas sonoridades características.

Nos dias 25 e 26 de novembro haverá a Oficina Paisagens Sonoras, no Horto Florestal e Departamento de artes e comunicação UFMS. As aulas serão das 14h às 17h, divididas em três etapas.

Leia Também