Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

rebaixamento

Portuguesa descarta ir à Justiça comum

6 JAN 14 - 08h:15band

Na prática, o Campeonato Brasileiro 2013 pode ser retomado a partir desta segunda-feira, quando o rebaixamento da Portuguesa será discutido na Justiça comum, em ação movida por um advogado sem ligação com o clube. Mas o presidente da Lusa, Ilídio Lico, descarta tomar a mesma medida com a agremiação. Em entrevista ao repórter Guilherme Pallesi, da Bradesco Esportes FM, o dirigente garante que não vai ao Poder Judiciário para tentar livrar a Portuguesa da queda.

“na Justiça comum não entro. Estamos aguardando algumas coisas da CBF, mas não pensamos em Justiça comum neste momento. Temos que enfrentar a realidade”, disse Lico, que não se anima com a ação que o advogado Delmiro Aparecido Goveia entrou no Juizado Especial Cível de Mogi das Cruzes (SP).

Caso a liminar seja concedida, a Lusa retomaria os quatro pontos que perdeu no julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O clube foi punido pela escalação irregular do jogador Héverton, na última rodada do Brasileirão.

De acordo com o Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), se o clube se beneficiar de uma decisão da Justiça comum, também pode ser punido com eliminação pela CBF.

Pouco antes de deixar o clube, a antiga gestão publicou uma nota em que prometia buscar as “esferas legais” contra o rebaixamento.

Em contato com o Portal da Band na última quinta-feira, porém, o novo vice-presidente jurídico da Lusa, Orlando Cordeiro de Barros, não se responsabilizou pelo comunicado e disse que ainda aguarda o fim do caso no Ministério Público, que estuda abrir um inquérito para investigar se o Estatuto do Torcedor foi desrespeitado no julgamento no STJD.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Internacional

Papa aceita renúncia de cardeal chileno acusado de envolvimento em escândalo sexual

Ezzati foi acusado de supostamente encobrir casos de abuso
Mandetta não garante recursos federais <br>para combater epidemia na Capital
AGENDA EM CAMPO GRANDE

Mandetta não garante recursos federais para combater epidemia na Capital

Tragédia

Chega a 417 número de mortes em Moçambique após ciclone

POLÍTICA

Maia diz que vai se empenhar em favor da reforma da Previdência

Presidente da Câmara sugere que deputados sejam ouvidos pelo Planalto

Mais Lidas